Ministério do Esporte vai acabar com a proibição federal do consumo de cerveja nos estádios.

Ministério do Esporte vai acabar com a proibição federal do consumo de cerveja nos estádios.

No entorno dos estádios, torcedores compram cerveja livremente

No entorno dos estádios, torcedores compram cerveja livremente

Foto: Alexandre Loureiro

Aldo Rebelo, Ministro dos Esporte, disse para diversos cartolas que vai editar o decreto regulamentador que acaba com a proibição federal da venda e consumo de bebidas alcoólicas nos estádios de futebol.

O estatuto do torcedor impede as bebidas etílicas nos jogos.

O ato de ministério do esporte vai acabar com o veto apenas em âmbito nacional.

Cada Estado do Brasil terá o direito de tomar posição e legislar sobre o assunto.

Em São Paulo, por exemplo, há uma lei estadual que impede a venda e o consumo de bebidas nos locais dos jogos.

Após a edição do decreto regulamentador, ou quem sabe antes disso, os grandes clubes paulistas vão começar o trabalho de convencimento dos deputados na Assembléia Legislativa para conseguirem a mudança da lei.

A liberação das cervejas aumentará o faturamento dos interessados, pois São Paulo e Santos possuem estádio, o Corinthians terá a Arena Corinthians, e o Palmeiras logo mais voltará a atuar em sua casa.

Fonte: Virgula - Blog do Birner

Veja Mais:

  • Lista de Carille tem duas vagas abertas; centroavante e ...

    Centroavante e mais um! Corinthians mantém uma vaga na lista de inscritos para o novo presidente

    ver detalhes
  • Emerson Sheik é símbolo de raça para boa parte da torcida do Corinthians

    Dez fotos que provam que Emerson Sheik e Corinthians têm tudo a ver

    ver detalhes
  • Alessandro entrega camisa para Mateus Vital, reforço vindo do Vasco

    Vital é apresentado no Corinthians, vibra com acerto e diz onde prefere aturar

    ver detalhes
  • Tevez recebeu pedido especial após derrota do Boca Juniors

    Em reestreia pelo Boca Juniors, Tevez autografa camisa do Corinthians e ri ao ouvir 'Timão'

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes