Erros recentes e escândalo tornam juiz protagonista na final do Paulista

Erros recentes e escândalo tornam juiz protagonista na final do Paulista

Erros recentes e escândalo tornam juiz protagonista na final do Paulista

Erros recentes e escândalo tornam juiz protagonista na final do Paulista

Guilherme Ceretta de Lima não vai rivalizar com Neymar e Paulinho em termos de protagonismo na final do Campeonato Paulista, mas certamente receberá uma atenção além daquela à qual já está acostumado. Neste domingo, na Vila Belmiro, o árbitro do segundo jogo da decisão entre Santos e Corinthians estará no olho de um furacão depois de erros marcantes no meio da semana e o escândalo que tirou Rodrigo Braghetto do confronto.

O assunto dominou grande parte do noticiário nos últimos dias. O foco na arbitragem já passou a ser especial após os erros cometidos pelo paraguaio Carlos Amarilla no meio da semana, no empate por 1 a 1 com o Boca Juniors que eliminou o Corinthians da Copa Libertadores.

Amarilla deixou de marcar um pênalti claro e anulou incorretamente um gol de Romarinho antes mesmo dos argentinos abrirem o placar. O Corinthians levantou a ideia de que teria sido vítima de uma armação e perdeu a calma com a situação no dia seguinte à partida.

Menos de 24 horas depois e o próprio Corinthians passaria à condição de suspeito. No fim da manhã da última sexta, após as denúncias começarem a aparecer em diversos sites na internet, entre eles o blog do Juca Kfouri, do UOL Esporte, Rodrigo Braghetto foi afastado da decisão do Paulista.

O árbitro é dono de uma empresa, a Apto Esportes, que prestava serviços ao departamento social do Corinthians até abril. Sob o comando de Braghetto, a firma escalava árbitros de campeonatos internos do clube, assim como já fez com outros clubes paulistas, inclusive o próprio Santos.

Uma vez denunciado, o conflito de interesses passou a incomodar a FPF (Federação Paulista de Futebol), apesar desta já ter conhecimento da relação. A entidade cortou Braghetto e sorteou Guilherme Ceretta para substitui-lo na decisão. Questionado, Tite demonstrou ter dúvidas sobre a substituição às pressas.

'O árbitro não estava se preparando e cai no colo dele. Tu não se prepara [perguntando para um repórter]? Vamos torcer para que a arbitragem esteja legal. Todos os momentos são importantes', disse o comandante corintiano.

Não bastasse o turbilhão que o assunto criou nos últimos dias, Ceretta ainda terá de lidar com um histórico recente conturbado entre os dois times, que fizeram confrontos recheados de polêmicas nos últimos cinco anos, quando dominaram o futebol paulista. No ano passado, por exemplo, um erro em um Santos e Corinthians fez com que até o chefe de arbitragem do país deixasse o cargo.

O jogo em questão aconteceu no Campeonato Brasileiro, na Vila Belmiro, e foi o primeiro após a semifinal da Libertadores entre os dois times. Na ocasião, a partida terminou 3 a 2 para o Santos, que chegou ao placar com direito a um gol triplamente ilegal.

Em uma mesma jogada, Bruno Rodrigo, Durval e André tocaram na bola em condição de impedimento. O bandeirinha que validou o gol, Emerson Augusto de Carvalho, foi afastado imediatamente pela CBF, que também demitiu Sergio Corrêa, então chefe de arbitragem da entidade.

Curiosamente, Emerson esteve no clássico entre Corinthians e Santos do último domingo, que terminou 2 a 1 para o time da capital. Apesar da lembrança do erro recente, ele não cometeu nenhum erro capital no confronto.

Fonte: Terceiro Tempo

Veja Mais:

  • Corinthians volta a jogar nesta segunda pela Liga Nacional

    Corinthians encara 'reforçado' Sorocaba na primeira final da Liga Nacional

    ver detalhes
  • Pelada registrada no Amapá, onde Caio presenciou o tradicional 'futilama'

    Do Amapá à Antártida: torcedor do Corinthians, fotógrafo percorre o mundo em busca de peladas

    ver detalhes
  • Cerca de 200 integrantes de organizadas foram ao Pacaembu neste domingo

    Ato de organizadas tem gritos de 'Vamo Chape' e pedido por liberdade nos estádios

    ver detalhes
  • Kalil, à direita de Roberto de Andrade, pediu licença de 60 dias

    Vice-presidente solicita licença do cargo e dispara contra diretoria do Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes