Cléber, da Ponte Preta, revela conversa com representante do Barcelona

Cléber, da Ponte Preta, revela conversa com representante do Barcelona

Cury já conversa com Cléber

Cury já conversa com Cléber

' O zagueiro Cléber rompeu o silêncio e voltou a falar sobre sua saída conturbada da Ponte Preta. Demonstrando-se bastante confuso, o jogador deu sinais de arrependimento pelos rumos que sua vida no clube tomou. No entanto, ele reiterou a vontade de permanecer no Brasil e revelou conversas com o empresário André Cury, que é amigo de Neymar e do ex-presidente do Corinthians Andrés Sanchez e representante do Barcelona na América do Sul.


'Conheço o André Cury e não tenho o que falar mal dele. Ele está querendo falar com meu empresário (agente Beto Rappa), porque eles são amigos e um amigo ajuda o outro. Várias vezes já conversei com ele, mas nunca falou nada de sair ou brigar com a Ponte. É um tipo um negociador, este é o trabalho dele', afirmou à Rádio Bandeirantes de Campinas.

Apesar das declarações, já há quem diga que Cury pode sim comprar os direitos econômicos do defensor para repassar ao Timão, até pela boa relação com Andrés Sanchez. Hoje, a Ponte detém 60% dos direitos. O restante está dividido entre Banco Fator (20%), o próprio jogador (10%) e em um empresário (10%).

Valores na mesa
Sem habilidade para administrar a situação, a Macaca e o próprio jogador acabaram criando um clima insustentável. Agora, publicamente, o time exige o pagamento da multa rescisória integral de R$ 8 milhões. No entanto, há quem diga que o clube pode vender seus 60% por R$ 5 milhões, desde que o jogador ceda parte dos direitos.

O desejo da Ponte era o priorizar o lado financeiro. Afinal, o clube recebeu uma proposta do Basel-SUI de 3,5 milhões de euros (cerca de R$ 10 milhões). O jogador deixou claro que não pretende sair do país, neste momento, por sonhar em defender a Seleção Brasileira.

'Quero ficar no Brasil foi para dar sequência no meu trabalho e no meu sonho, que é chegar à Seleção. Se estivesse pensando apenas no dinheiro, eu aceitaria ir para o Basel. Mas acho que aqui terei muito mais visibilidade', explicou Cléber.

Trevo
Quando perguntado se, caso não haja acordo com algum clube brasileiro, ele voltaria para a Ponte, o zagueiro titubeou. 'Desagradei muita gente. Não falo nem que vou voltar ou que vou sair. Minha cabeça está um trevo, mas não queria sair deste jeito. Entendo a situação do torcedor, mas quero agradecer o apoio de todos que tive, desde os funcionários aos torcedores. Sei que muitos estão me xingando, mas paciência', disse.

Um dos que criticaram publicamente Cléber foi o gerente de futebol Marcus Vinícius. Mostrando seu lado torcedor, o dirigente não escondeu o descontentamento e disse que o jogador foi 'ingrato'. 'Não quero mais tocar neste assunto. O cara (Marcus Vinícius) falou m... de mim pela imprensa. Justo um cara que falou que ia me ajudar', finalizou.

Fonte: Futebol Interior

Veja Mais:

  • Oswaldo defendeu utilização da cor verde em homenagem à Chapecoense

    Oswaldo comenta tragédia da Chapecoense e é mais um a defender cor verde no Corinthians

    ver detalhes
  • Sala de cabines de TV da Arena passa a ser chamada Lilácio Pereira Jr.

    Corinthians batiza sala de transmissões da Arena em tributo a vítima de acidente

    ver detalhes
  • Golaço de Marlone sobre Cobresal rendeu a ele indicação ao Puskás

    Marlone supera Messi e Neymar e vai à final do Prêmio Puskás da Fifa

    ver detalhes
  • Luidy (boné) conheceu o CT Joaquim Grava na última quinta-feira

    Contratação do Corinthians vai ao CT pela primeira vez

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes