Valores de Cléber não batem e Ponte cogita ter reforço corintiano

Valores de Cléber não batem e Ponte cogita ter reforço corintiano

Valores de Cléber não batem e Ponte cogita ter reforço corintiano

Valores de Cléber não batem e Ponte cogita ter reforço corintiano

Gustavo Franceschini
Do UOL, em São Paulo


O Corinthians diz que vai bater o martelo na segunda ou na terça, pessoas envolvidas na negociação dizem que tudo está fechado por R$ 6 milhões e a Ponte espera R$ 1 milhão a mais. Esse é o cenário da negociação do zagueiro Cléber, que se arrasta há três semanas, foi marcada por várias confusões nos bastidores e ainda está para ganhar seu capítulo final.

Cléber está acertado com o Corinthians há pelo menos duas semanas e fez até exames médicos pelo novo clube, mas segue treinando em uma academia em Campinas. Na última semana, o clube do Parque São Jorge interrompeu as negociações alegando que não poderia ter como parceiro o empresário Renato Duprat, ex-intermediário da MSI.

Ele é o representante no Brasil do Doyen Sports, fundo inglês que ajudaria na transação. Incomodado, o Corinthians desistiu da parceria e acionou a DIS para finalmente fechar a contratação de Cléber. Neste sábado, a reportagem conversou com pessoas envolvidas na transação, que garantiram que tudo foi fechado nas últimas horas.

Cléber chegaria ao Corinthians por R$ 6 milhões, valor dividido entre o clube, a DIS e o empresário Fernando Garcia. Com esse montante, o Corinthians se tornaria dono de 20% dos direitos econômicos e os demais sócios de outros 60%, sendo que 10% são do próprio zagueiro e os outros 10% do agente Beto Rappa.

O problema é que não foi esse o valor combinado com a Ponte Preta no início das conversas. Márcio Della Volpe, presidente do clube campineiro, diz que R$ 6 milhões correspondem apenas aos 60% dos direitos que pertencem à própria Ponte. O banco Fator, dono de 20%, inicialmente receberia pouco mais de R$ 1 milhão, número 'esquecido' no atual formato.

'Vamos sentar na segunda. O Corinthians sabe o que queremos. De alguma forma vão chegar nesse valor. Não vão chegar e falar: ?Fechei com você por R$ 7 milhões e vou pagar R$ 6 milhões?. Isso não tem como ser feito', disse Della Volpe ao UOL Esporte.

Na última sexta, Roberto de Andrade, diretor de futebol do Corinthians, já tinha deixado no ar a possibilidade de uma mudança no valor. Consultado, ele negou que o acordo tenha sido fechado e disse que o martelo deve ser batido nos próximos dias. ''Estamos tratando. Até segunda ou terça devemos acertar', disse ele.

Della Volpe também nega qualquer acerto. O cartola diz que seu último contato com os corintianos foi na quinta-feira, quando conversou com Duílio Monteiro Alves, diretor-adjunto de futebol do Corinthians, por telefone.

Uma das soluções aventadas por quem participa da negociação é a inclusão de um jogador do elenco de Tite, que complementaria o valor original. Della Volpe não descarta essa opção. 'Pode ser. Tem milhares de coisas que podem acontecer', disse ele. A reportagem procurou o Corinthians para comentar a possibilidade, mas nenhum dirigente retornou as ligações.

Nos últimos tempos, Ponte e Corinthians têm sido parceiros frequentes em diferentes negociações. No elenco de Tite, por exemplo, Guilherme Andrade é oriundo da equipe campineira que, por sua vez, tem Giovanni e Ramirez em seu grupo, ambos emprestados.

Foto: UOL

Fonte: Terceiro Tempo

Veja Mais:

  • Guilherme Arana disputará Sul-Americano no Equador

    Corinthianos são convocados para Sul-Americano Sub-20; Jabá fica fora

    ver detalhes
  • Internacional foi alvo de gafe da Fifa

    Fifa comete gafe, troca escudo do Internacional e põe foto do Corinthians no lugar

    ver detalhes
  • Alan Mineiro não fica no Corinthians em 2017

    [Teleco] Alan Mineiro não fica no Corinthians em 2017

    ver detalhes
  • Luidy foi nomeado o melhor jogador do estado de Alagoas em 2016

    Reforço do Corinthians é eleito melhor jogador do ano em AL

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes