Timão busca equilíbrio para subir na tabela

Timão busca equilíbrio para subir na tabela

Pato tenta se equilibrar durante treino. Instável, já chegou a ser vaiado

Pato tenta se equilibrar durante treino. Instável, já chegou a ser vaiado

Foto: Daniel Augusto/Ag. Corinthians

Equilíbrio é uma das palavras mais citadas por Tite desde a chegada dele ao Corinthians, em outubro de 2010. Até o começo do Brasileirão, os jogadores ouviram a orientação  com muita atenção, mas agora...

Enquanto a defesa levou apenas cinco gols e é a melhor da competição, o ataque é o pior e marcou só seis, ficando atrás de times como Náutico e Portuguesa. Assim, a equipe ocupa o 11 lugar no campeonato.

Mas isso não quer dizer que Cássio e Gil são os melhores jogadores do mundo e Emerson e Guerrero, os piores. A discussão vai além do individual. O time manteve a capacidade de defender em bloco, mas atacar em conjunto não está sendo feito com eficiência.

'Somos conhecidos como um time que defende e ataca em grupo. Os atacantes estão voltando bastante. Nós, de trás, temos de sair com mais qualidade para que o pessoal da frente não se desgaste tanto na criação das jogadas', analisou o zagueiro Paulo André.

De fato, o time está criando menos do que deveria. Jogar por uma bola pode ser perigoso, principalmente quando ela insiste em não entrar. No Brasileirão, o Timão tem apenas 32 finalizações que chegaram ao gol rival -; média de 3,5 por jogo. Superando só Portuguesa e Atlético-MG, com 31 cada.

'Em 2011 (ano do título Brasileiro), a maioria dos nossos jogos foi vencida por 1 a 0. Agora, não estamos conseguindo sair na frente nas partidas', acrescentou Paulo André.

Anfitrião bonzinho/ Um time desequilibrado gera campanhas desequilibradas. No caso do Timão, isso fica muito claro com os desempenhos dentro e fora de casa.

Como visitante, quando tem como obrigação maior defender, o Corinthians ganhou 41,6% dos pontos. Apenas Ponte Preta, Bahia, Flamengo, Inter e Cruzeiro foram melhores. Mas, no Pacaembu, quando tem de atacar, faturou 40% dos pontos, superando somente a Macaca e o São Paulo.

O QUE FAZER?
 
Melhorar a saída de bola da defesa
Os atacantes ajudam na marcação, mas os defensores estão errando muitos passes na saída de bola. Os lançamentos dificultam a criação das oportunidades de gol.

Tornar a equipe mais imprevisível
Arriscar um chute de longe, melhorar nas bolas paradas, alternar o pivô com jogadas pelos lados... Enfim, confundir o rival é fundamental. 

Adaptar-se melhor às retrancas rivais
A maioria dos times joga fechada no Pacaembu. Reclamar e bater nas mesmas teclas não adianta. O jeito é se adaptar e buscar meios de furar os bloqueios adversários.

Ter mais calma para decidir
Se o time joga por uma bola, é preciso que ela entre. Como não cria tanto, o Timão tem de ter um aproveitamento melhor dos chutes a gol.

Fonte: Diário de São Paulo

Veja Mais:

  • Clayson foi escolhido por Carille para, mais uma vez, substituir Jadson

    Corinthians encerra preparação, e Carille mantém escalação sem Jadson para jogo deste sábado

    ver detalhes
  • Jadson começa a partida deste sábado no banco de reservas

    Com retorno de Jadson, Corinthians divulga lista de relacionados para jogo contra Vitória

    ver detalhes
  • Fagner já tem 208 jogos, sete gols e dois títulos pelo Corinthians

    Fagner fala sobre fazer história no Corinthians, revela papo com Léo Príncipe e manda recado à Fiel

    ver detalhes
  • Carille em coletiva na manhã desta sexta-feira, no CT Joaquim Grava

    Carille vê rivais fazendo pegadinha e refaz as contas para o hepta do Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes