Patrocinadores darão nome a 14 setores diferentes da Arena Corinthians

Patrocinadores darão nome a 14 setores diferentes da Arena Corinthians

O corintiano deve aprender, em breve, a chamar sua nova casa pelo nome de uma empresa, mas se engana quem acha que só uma companhia entrará no vocabulário alvinegro. No plano comercial da Arena Corinthians, estão previstos nada menos que 14 acordos do tipo, embora só o principal seja chamado de "naming right".

A ideia foi apresentada à reportagem pelos gestores do estádio na última terça, quando a reportagem fez uma visita as obras da sede da abertura da Copa do Mundo de 2014. Com 84% das obras concluídas, o Corinthians dá seus últimos passos para fechar o plano econômico de sua nova casa.

A venda do nome do estádio segue como principal ativo para o clube bancar os R$ 820 milhões investidos na construção. A projeção de arrecadação com esse contrato, porém, já não é a mesma do início do projeto da Arena Corinthians, quando Luiz Paulo Rosemberg, então diretor de marketing do clube, falava no maior acordo do tipo em todo o mundo, de cerca de R$ 400 milhões.

Em entrevista ao UOL Esporte, em abril, Ivan Marques, hoje diretor de marketing do clube, já dizia que o plano econômico dos naming rights do Itaquerão seriam revistos. Agora, o Corinthians planeja negociar diferentes áreas do estádio com empresas que emprestarão suas marcas àqueles locais.

Serão dois espaços premium para hospitalidade, dois camarotes de festa para 300 pessoas e nove "clubes", espaços que ficam perto da entrada monumental do estádio, na ala oeste, por onde chegarão todos os VIP's. Nesses locais, as empresas terão liberdade para fazerem diferentes tipos de ações em dias de jogos do Corinthians. Se quiserem, podem até emendar uma balada para seus convidados.

Além dos parceiros que darão nome aos setores, o Corinthians também projeta ter acordos de nicho. São patrocinadores do clube de diferentes segmentos que serão encaixados na comunicação visual em algum ponto do estádio. As áreas de atuação vão desde a indústria automobilística às companhias de seguro.

Os três acordos já fechados, por exemplo, contemplam empresas que contribuíram para a obra da Arena Corinthians. A Sabesp ajudou no sistema de saneamento, a Osram forneceu os painéis de led que ficarão na fachada do estádio e a japonesa Toto fez um desconto nas louças dos banheiros, todas mais resistentes a vandalismo.

Fonte: Uol

Veja Mais:

  • Guilherme Arana disputará Sul-Americano no Equador

    Corinthianos são convocados para Sul-Americano Sub-20; Jabá fica fora

    ver detalhes
  • Moisés, de 21 anos, foi um dos destaques do Bahia em 2016

    Destaque do Bahia, lateral faz parte dos planos do Corinthians para 2017

    ver detalhes
  • Internacional foi alvo de gafe da Fifa

    Fifa comete gafe, troca escudo do Internacional e põe foto do Corinthians no lugar

    ver detalhes
  • Alan Mineiro não fica no Corinthians em 2017

    [Teleco] Alan Mineiro não fica no Corinthians em 2017

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes