Tite defende Pato e nega conflito com Emerson no Corinthians

Tite defende Pato e nega conflito com Emerson no Corinthians

Tite defendeu o PatoFoto: Daniel Augusto Jr./Ag.Corinthians

Tite defendeu o PatoFoto: Daniel Augusto Jr./Ag.Corinthians

O técnico Tite minimizou o peso das polêmicas ocorridas no clássico entre Corinthians e Coritiba, entre elas o discutível pênalti assinalado a favor do time paulista no final da partida que terminou em 1 a 0 para os corintianos, no Pacaembu. E, após o confronto, precisou comentar a revolta de Emerson por ter sido substituído por Romarinho antes de 15 minutos do segundo tempo, assim como as vaias da torcida a Alexandre Pato, que deu lugar a Guerrero, autor do único gol do confronto.


'Temos que respeitar o sentimento do torcedor. O mesmo Pato vaiado agora foi o que saiu aplaudido no mesmo Pacaembu, no jogo anterior aqui, contra o Vitória, pela boa atuação que teve', disse o comandante ao minimizar o peso da atuação ruim do atacante, fato que motivou os torcedores corintianos a pedirem a entrada de Guerrero em campo no decorrer do confronto.

O treinador preferiu não criticar a atuação de Pato ao reconhecer que todo o time corintiano não conseguiu render o esperado neste domingo. 'Dentro do nosso grupo não tem soberba, de que pode ganhar a qualquer hora, de que não enxerga adversário com méritos. A gente respeita e sabe construir, esse Corinthians sempre nos momentos decisivos foi muito forte', analisou Tite, para mais tarde ressaltar: 'Futebol também se faz com erros, com acertos, com repetição e com calma para trabalhar'.

Já ao falar sobre o fato de que Emerson evitou cumprimentá-lo após ser substituído durante o duelo diante do Coritiba, o técnico negou a existência de qualquer conflito entre ele e o atacante. 'Temos um histórico de cinco campeonatos juntos. Ele estava bravo porque não teve seu desempenho normal. O técnico não estendeu a mão para cumprimentar ele, olha a imagem', lembrou.

O próprio Emerson colocou panos quentes na situação ao comentar o seu destempero, pois chegou a jogar uma garrafa de água no chão pouco depois de ser substituído, no banco de reservas corintiano. 'A gente quer jogar, a gente sabe que todo mundo está querendo ajudar um ao outro. Mas todo mundo quer jogar, sempre respeitando a decisão dele (Tite). Não foi indisciplina não', assegurou o atacante.

Fonte: Futebol Interior

Veja Mais:

  • Clayton disputou 14 jogos, marcando dois gols

    Corinthians e Atlético-MG finalizam últimos detalhes para devolução de Clayton

    ver detalhes
  • Romero, Jô, Rodriguinho e Fagner, personagens do PES 2018

    Presença do Corinthians na demo de PES 2018 é anunciada pela Konami; veja novo trailer do game

    ver detalhes
  • Clayton está liberado para voltar ao Atlético-MG

    Bom negócio? Torcedores de Corinthians e Atlético-MG repercutem devolução de Clayton

    ver detalhes
  • Carille definiu os jogadores que iniciam o duelo contra a Chapecoense

    Carille saca Clayson, mantém Jadson fora e escala Corinthians para enfrentar Chapecoense

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes