Palhinha critica base do São Paulo e treina alunos do Corinthians nos EUA

Palhinha critica base do São Paulo e treina alunos do Corinthians nos EUA

Palhinha treina alunos do Corinthians nos EUA

Palhinha treina alunos do Corinthians nos EUA

Foto: Divulgação

Palhinha participou da fase áurea do São Paulo, conquistando o Mundial Interclubes de 1992 e 1993. Ídolo tricolor, o ex-jogador agora comanda escolinha do Corinthians nos Estados Unidos. Em entrevista ao UOL Esporte, Palhinha considera o São Paulo com o maior potencial para revelar craques no país, mas critica o modo como os jovens são desenvolvidos em Cotia.

Para Palhinha, o São Paulo se preocupa demais na formação humana (com estudos e cursos extracurriculares) e deixa segundo em segundo plano os fundamentos básicos para lapidar um jogador.

"De que adianta o garoto no São Paulo ficar forte, inteligente, mas ser burro em campo? É isso o que acontece. Eu não culpo técnicos da base, mas sim quem comanda. Eu tiraria todo mundo da base do São Paulo"

O São Paulo oferece diversos serviços e atrativos aos jovens. O clube custeia faculdade, curso de inglês, moradia, transporte, alimentação, aulas de surf e até visitas a orquestras.

"Sai garoto forte de Cotia, mas que não aprende nada de bola. É muito pouco ter tido só o Lucas com aquela estrutura excelente", criticou Palhinha.

Autor de um dos gols na vitória do São Paulo por 3 a 2 contra o Milan, na final do Mundial de 93, o ex-jogador cita Romarinho como exemplo de erro cometido pelo departamento amador tricolor.

O atacante do Corinthians deixou a base do clube do Morumbi após indisciplina e notas baixas.

"Vai tirar um menino com potencial por nota baixa? Quantos advogados, médicos ou engenheiros foram grandes jogadores? Só o Sócrates e mais uns três".

Cerca de 200 alunos, de 6 a 23 anos, integram a franquia Corinthians Soccer Academy, que tem Palhinha como um dos funcionários.

Dois alunos norte-americanos estiveram no Brasil no início do ano, mas foram reprovados nas peneiras do Corinthians. Outro garoto foi avaliado nas categorias de base da seleção dos EUA.

Palhinha ressalta que a ligação sentimental com o São Paulo não interfere no trabalho desenvolvido na escolinha alvinegra.

"Eu sou profissional. Fiz minha história no São Paulo, assim como tive grandes momentos no Cruzeiro, Grêmio, América-MG. Mas hoje eu sou Corinthians".

Morando nos EUA há dois anos, Palhinha se diz adaptado, apesar de não dominar a língua local. Ele conta que não pensa em retornar ao Brasil.

"Eu estou com 45 anos e não tenho mais tempo a perder. Estou muito bem aqui, tranquilo, e não tenho muita saudade, não", declarou Palhinha.

Fonte: Uol Esportes

Veja Mais:

  • Oswaldo defendeu utilização da cor verde em homenagem à Chapecoense

    Oswaldo comenta tragédia da Chapecoense e é mais um a defender cor verde no Corinthians

    ver detalhes
  • Sala de cabines de TV da Arena passa a ser chamada Lilácio Pereira Jr.

    Corinthians batiza sala de transmissões da Arena em tributo a vítima de acidente

    ver detalhes
  • Golaço de Marlone sobre Cobresal rendeu a ele indicação ao Puskás

    Marlone supera Messi e Neymar e vai à final do Prêmio Puskás da Fifa

    ver detalhes
  • Luidy (boné) conheceu o CT Joaquim Grava na última quinta-feira

    Contratação do Corinthians vai ao CT pela primeira vez

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes