Andrés diz que não demitiria Tite, apesar da má fase do Corinthians

Andrés diz que não demitiria Tite, apesar da má fase do Corinthians

Andrés diz que não demitiria Tite, apesar da má fase do Corinthians

Andrés diz que não demitiria Tite, apesar da má fase do Corinthians

Gustavo Franceschini
Do UOL, em São Paulo

Principal responsável pela manutenção de Tite na crise pós-eliminação diante do Tolima, em 2011, Andrés Sanchez segue achando que trocar o treinador não é a melhor solução. Em entrevista exclusiva ao UOL Esporte, o ex-presidente do Corinthians fez questão de dizer que não participa da decisão, mas que não acha que a atual comissão técnica deva sofrer alterações, a despeito da crise que o time vive.

'Eu sou contra demitir técnico, todos são a mesma coisa. Entre os dez, 12 [principais], todos sabem a mesma coisa, ou você acha que um é melhor que o outro? Vai muito da relação que cada um tem com cada um, mas nós damos muita moral pra quem ganha R$ 1 milhão por mês aí. Então não acho que treinador é o maior culpado de tudo não. Em nenhum caso', disse Andrés.

Hoje, o ex-presidente não tem ligação direta com o futebol do Corinthians. Sua principal função no clube é a gestão das questões referentes ao novo estádio alvinegro, que está em fase final de construção e deve ser inaugurado no início do ano que vem. Ele mesmo admite, porém, que é impossível ficar impassível diante da má fase da equipe.

'Eu estou igual à torcida. Como torcedor estou sofrendo, triste com os resultados que não estão vindo. O resto eu não tenho nada a ver com isso', disse Andrés, reforçando que não cumpre nenhum tipo de papel na tomada de decisões.

A princípio, a direção comandada por Mário Gobbi deve manter a mesma linha do antecessor. Nos últimos dias, todos os dirigentes do departamento de futebol do clube prometeram manter Tite até o fim do ano, mesmo que o time esteja há cinco rodadas sem vencer e cada vez mais longe da zona de classificação para a Libertadores.

No fim do ano, no entanto, a renovação de contrato do treinador ainda é um mistério, com dúvidas dos dois lados. Tite já disse anteriormente que acredita em um ciclo de três anos para técnicos no Brasil. Andrés concorda, mas não se arrisca a dizer qual é o prazo de validade exato.

'Eu acho também que o treinador tem um tempo, só não sei dizer qual é. Porque tudo tem um limite na vida', disse o cartola.

Entre as principais críticas feitas à atual equipe está o modo como foi feita a renovação em relação ao time que foi campeão mundial no ano passado. Gastos milionários, como os R$ 40 milhões investidos em Alexandre Pato, contrastam com transferências a custo zero dos tempos de Andrés. Mesmo nesse tema, porém, o ex-presidente concorda com a atual gestão.

'Não fiz [contratação milionária] porque não tinha dinheiro. Eu fiz uma oferta muito mais cara pelo Tevez, só que não deu tempo [de fechar]. Contratação boa é aquela que dá certo, independentemente do valor. O Pato é vice-artilheiro do Corinthians. Precisa melhorar um pouco? Ele e todo mundo sabem, mas é um grande jogador, uma grande pessoa. Tem tudo para dar certo', concluiu Andrés.

Foto: UOL

Fonte: Terceiro Tempo

Veja Mais:

  • Cerca de 200 integrantes de organizadas foram ao Pacaembu neste domingo

    Ato de organizadas tem gritos de 'Vamo Chape' e pedido por liberdade nos estádios

    ver detalhes
  • Kalil, à direita de Roberto de Andrade, pediu licença de 60 dias

    Vice-presidente solicita licença do cargo e dispara contra diretoria do Corinthians

    ver detalhes
  • Bruno César anotou o segundo gol na vitória por 2 a 0

    Ex-jogador do Corinthians marca golaço de falta e dedica à Chapecoense; veja o vídeo

    ver detalhes
  • Maycon conta com o aval de Oswaldo de Oliveira para retorno

    Retorno de Maycon minimiza necessidade por contratação de volante no Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes