Criticado, Pato busca adaptação à realidade do Corinthians em crise

Criticado, Pato busca adaptação à realidade do Corinthians em crise

De Milão para a Zona Leste de São Paulo, o choque de realidade é grande. Contratado por R$ 40 milhões em janeiro, Alexandre Pato demorou a perceber que, no Corinthians, a pressão da torcida é bem maior do que no Milan. Em meio à maior crise do clube nos últimos três anos, a ficha, aos poucos, vai caindo. A rotina de exposição em eventos, com direito a fotos em redes sociais, não é compreendida e aceita por boa parte dos torcedores. Lidar com isso e tentar se adaptar faz parte do trabalho.
No CT, Pato treina em frente a painel que exalta força do torcedor corintiano (Foto: Daniel Augusto Jr / Agência Corinthians)
Pato treina em frente a painel que exalta força do torcedor corintiano (Foto:Daniel Augusto Jr.Ag.Corinthians)
O alto valor da negociação e o rendimento abaixo do esperado aumentaram a intensidade das críticas a Pato. Entre as pichações no Parque São Jorge após a derrota por 4 a 0 para a Portuguesa, no último domingo, o atacante foi o mais hostilizado, ao lado de Emerson Sheik. As vaias a ele se tornaram constantes, embora o jogador seja vice-artilheiro do Corinthians nesta temporada, com 15 gols marcados.

A derrota por 2 a 1 para o Goiás, no dia 15 de setembro, no Pacaembu, marcou o ponto mais alto da relação conturbada entre a Fiel e Alexandre Pato. Autor do gol alvinegro naquela tarde, o atacante deixou o estádio às pressas e partiu para o Morumbi, casa do rival São Paulo, para assistir ao show da cantora Beyoncé. A atitude revoltou os torcedores. Na visão da Fiel, foi mais um exemplo de falta de comprometimento. O jogador se assustou com as reações. A partir dali, postou apenas seis fotos em mais de duas semanas na sua conta no Instagram - e em todas é repreendido por torcedores que pedem "mais futebol e menos pose". Até então, vinha postando uma média de uma imagem por dia.
Os altos e baixos com a torcida começaram já na Taça Libertadores da América. Após estreia com gol no Paulistão, Pato animou os alvinegros pela parceria de sucesso com Renato Augusto na primeira fase da competição continental. A eliminação da equipe acabou atenuada pelos títulos do estadual e da Recopa Sul-Americana, mas o estilo pouco combativo e a irregularidade do jogador passaram a irritar a torcida.
Até o técnico Tite alertou Pato sobre seu comportamento dentro de campo. Para adaptá-lo ao esquema tático 4-2-3-1, recomendou que fizesse mais faltas, até com carrinhos. O técnico chegou a dizer que o atacante estava liberado para tomar mais cartões amarelos em prol da marcação. Os conselhos não deram resultado, e o atacante segue em baixa.
Homem de poucas palavras, Pato evita falar com a imprensa. Nas poucas vezes em que deu entrevistas sobre sua adaptação ao Brasil, falou sempre sobre os “cinco anos maravilhosos passados no Milan”. Apesar das lesões que o atrapalharam no clube italiano, a pressão não se compara com o que o jogador passa atualmente em São Paulo. Como sua passagem pelo time profissional do Internacional foi curta e vitoriosa – com direito a título mundial –, Pato só agora conhece o nível de cobrança em seu país de origem.
Após a derrota humilhante para a Portuguesa em Campo Grande, o zagueiro Paulo André admitiu que o fator psicológico vem atrapalhando o Corinthians. Alexandre Pato, que não conseguiu se firmar na equipe titular, é um dos que mais comprovam a teoria do defensor.

Fonte: Globo Esporte

Veja Mais:

  • Apresentadora usou termo pejorativo para se referir ao Corinthians

    Corinthians é chamado por termo pejorativo em programa de televisão de Campinas

    ver detalhes
  • Elenco do Timão teve dia descontraído no CT Joaquim Grava

    Carille libera rachão, e Corinthians tem treino com show de descontração antes de final estadual

    ver detalhes
  • Tour da Arena Corinthians terá início na segunda semana de maio

    Corinthians anuncia início do tour da Arena; veja preços e como comprar ingressos

    ver detalhes
  • Corinthians de Carille vem se tornando conhecido pela postura defensiva

    Técnico do Corinthians cita até Atlético de Madrid para defender filosofia de trabalho

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes