Corinthians joga em Mogi pensando em fugir da crise

Corinthians joga em Mogi pensando em fugir da crise

Mogi Mirim, SP, 02 (AFI) - Um barril de pólvora prestes a estourar. Assim está o Corinthians que entra em campo nesta quarta-feira para enfrentar o Bahia a partir das 21h50. Cada vez mais perto da zona de rebaixamento, o time joga sob enorme pressão no Estádio Romildo Ferreira, em Mogi Mirim, no interior de São Paulo. Sem vencer há oito jogos, um novo tropeço pode significar o fim da harmonia entre o técnico Tite e a equipe, apesar de ele não pensar mais em abandonar o barco como chegou a cogitar anteriormente.


Dois dias após a goleada vexatória por 4 a 0 para a Lusa, Tite garantiu na entrevista de terça-feira que está pronto para dar a volta por cima. 'Claro que fiquei chateado. Saí do aeroporto quieto com dois amigos, não eram seguranças, para evitar que um aproveitador qualquer quisesse aparecer. Aprendi com o futebol que a gente se recicla rápido no momento ruim. São 31 anos de experiência. Não tomei uma caipirinha, mas namorei. É 'nóis mano', até quando a diretoria quiser', afirmou o técnico, mais tranquilo, apesar da ameaça de rebaixamento. 'É 'nóis' quando ganha, tem de ser 'nóis' quando perde. Sou técnico do Corinthians e me orgulho disso, sou um privilegiado.'

Tite ganhou respaldo da direção. No treino de terça-feira, em Mogi Mirim, onde o clube cumpre o primeiro dos quatro jogos de punição imposta pelo Superior Tribunal de Justiça de Desportiva (STJD), o técnico foi observado de perto pelo presidente do clube, Mário Gobbi, que disse estar com ele 'até o fim'.

Há um ano e oito meses que o Corinthians não entrava em campo tão pressionado por sua torcida. Desde a fatídica eliminação na fase preliminar da Libertadores, em fevereiro de 2011. Após aquele vexame diante do Tolima, torcedores tentaram agredir os jogadores no desembarque e aproximadamente 300 corintianos foram ao CT do clube xingar os atletas, apedrejar o ônibus da delegação e cobrar a saída de alguns nomes do elenco.

O saldo das cenas de vandalismo foram a aposentadoria de Ronaldo e as saídas de Jucilei e Roberto Carlos. Tite acabou poupado naquele momento pela direção e levou a equipe às importantes conquistas do Campeonato Brasileiro, da Libertadores e do Mundial.

Esse reconhecimento, já que grande parte do atual elenco participou das conquistas, parece não existir mais. E alguns jogadores estão na mira dos irritados torcedores corintianos. Entre as peças principais das reclamações estão Emerson, o herói da Libertadores, e Alexandre Pato, o reforço de R$ 40 milhões que ainda não convenceu.

Para salvar a pele do treinador e também deles próprios, os jogadores fizeram um pacto para 'resgatar o futebol de campeão' e, assim, espantar o fantasma do rebaixamento - o Corinthians está em 13º lugar, com 31 pontos. Prometeram jogar pelo time e deixar as desavenças de lado.

Resta saber se o adversário vai deixar. 'Claro que será um jogo duro, complicado, e temos de ser melhores do que o Bahia em campo, fazer por merecer o resultado', pregou Tite. Como? 'Com luz, equilíbrio, discernimento e persistência.'

Fonte: Futebol Interior

Veja Mais:

  • Corinthians volta a jogar nesta segunda pela Liga Nacional

    Corinthians encara 'reforçado' Sorocaba na primeira final da Liga Nacional

    ver detalhes
  • Craque do futsal do Corinthians, Leandro Lino deve jogar pelo Sorocaba em 2017

    Quatro campeões do Corinthians recebem proposta do Sorocaba e devem 'virar casaca' em 2017

    ver detalhes
  • Pelada registrada no Amapá, onde Caio presenciou o tradicional 'futilama'

    Do Amapá à Antártida: torcedor do Corinthians, fotógrafo percorre o mundo em busca de peladas

    ver detalhes
  • Cerca de 200 integrantes de organizadas foram ao Pacaembu neste domingo

    Ato de organizadas tem gritos de 'Vamo Chape' e pedido por liberdade nos estádios

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes