Corinthians joga em Mogi pensando em fugir da crise

Corinthians joga em Mogi pensando em fugir da crise

Mogi Mirim, SP, 02 (AFI) - Um barril de pólvora prestes a estourar. Assim está o Corinthians que entra em campo nesta quarta-feira para enfrentar o Bahia a partir das 21h50. Cada vez mais perto da zona de rebaixamento, o time joga sob enorme pressão no Estádio Romildo Ferreira, em Mogi Mirim, no interior de São Paulo. Sem vencer há oito jogos, um novo tropeço pode significar o fim da harmonia entre o técnico Tite e a equipe, apesar de ele não pensar mais em abandonar o barco como chegou a cogitar anteriormente.


Dois dias após a goleada vexatória por 4 a 0 para a Lusa, Tite garantiu na entrevista de terça-feira que está pronto para dar a volta por cima. 'Claro que fiquei chateado. Saí do aeroporto quieto com dois amigos, não eram seguranças, para evitar que um aproveitador qualquer quisesse aparecer. Aprendi com o futebol que a gente se recicla rápido no momento ruim. São 31 anos de experiência. Não tomei uma caipirinha, mas namorei. É 'nóis mano', até quando a diretoria quiser', afirmou o técnico, mais tranquilo, apesar da ameaça de rebaixamento. 'É 'nóis' quando ganha, tem de ser 'nóis' quando perde. Sou técnico do Corinthians e me orgulho disso, sou um privilegiado.'

Tite ganhou respaldo da direção. No treino de terça-feira, em Mogi Mirim, onde o clube cumpre o primeiro dos quatro jogos de punição imposta pelo Superior Tribunal de Justiça de Desportiva (STJD), o técnico foi observado de perto pelo presidente do clube, Mário Gobbi, que disse estar com ele 'até o fim'.

Há um ano e oito meses que o Corinthians não entrava em campo tão pressionado por sua torcida. Desde a fatídica eliminação na fase preliminar da Libertadores, em fevereiro de 2011. Após aquele vexame diante do Tolima, torcedores tentaram agredir os jogadores no desembarque e aproximadamente 300 corintianos foram ao CT do clube xingar os atletas, apedrejar o ônibus da delegação e cobrar a saída de alguns nomes do elenco.

O saldo das cenas de vandalismo foram a aposentadoria de Ronaldo e as saídas de Jucilei e Roberto Carlos. Tite acabou poupado naquele momento pela direção e levou a equipe às importantes conquistas do Campeonato Brasileiro, da Libertadores e do Mundial.

Esse reconhecimento, já que grande parte do atual elenco participou das conquistas, parece não existir mais. E alguns jogadores estão na mira dos irritados torcedores corintianos. Entre as peças principais das reclamações estão Emerson, o herói da Libertadores, e Alexandre Pato, o reforço de R$ 40 milhões que ainda não convenceu.

Para salvar a pele do treinador e também deles próprios, os jogadores fizeram um pacto para 'resgatar o futebol de campeão' e, assim, espantar o fantasma do rebaixamento - o Corinthians está em 13º lugar, com 31 pontos. Prometeram jogar pelo time e deixar as desavenças de lado.

Resta saber se o adversário vai deixar. 'Claro que será um jogo duro, complicado, e temos de ser melhores do que o Bahia em campo, fazer por merecer o resultado', pregou Tite. Como? 'Com luz, equilíbrio, discernimento e persistência.'

Fonte: Futebol Interior

Veja Mais:

  • Guilherme Arana é um dos principais jogadores do país em 2017

    Time espanhol trata Arana como prioridade e deve apresentar nova oferta para o Corinthians

    ver detalhes
  • Romero e Balbuena foram convocados pelo técnico Arce

    Lesão não impede convocação de Balbuena; Paraguai libera lista com os jogadores do Corinthians

    ver detalhes
  • Torcida do Corinthians não vê jogo da equipe na TV aberta há quase um mês

    Fiel só tem uma opção para assistir na TV ao jogo do Corinthians contra Chapecoense

    ver detalhes
  • Elias deixou o Corinthians há um ano para reforçar o Sporting, de Portugal

    Por momento ruim do Atlético-MG, Elias cogita retorno ao Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes