Guerrero teve a maior sequência da carreira antes de sofrer lesão no pé

Guerrero teve a maior sequência da carreira antes de sofrer lesão no pé

Guerrero teve a maior sequência da carreira antes de sofrer lesão no pé

Guerrero teve a maior sequência da carreira antes de sofrer lesão no pé


Paolo Guerrero, que convive com uma fratura no pé esquerdo há duas semanas e acaba de ser cortado da seleção do Peru na última rodada das Eliminatórias sul-americanas para a Copa-2014, nunca jogou tanto em sua carreira como em 2013. Até agora, o atacante já entrou em campo em 46 oportunidades e bateu seu recorde pessoal dois meses antes do fim da temporada.

A lesão não tem, segundo o departamento médico do clube, uma ligação direta com a sequência, mas o número impressiona. Até sua chegada ao Corinthians, Guerrero só tinha ultrapassado a marca de 40 partidas na temporada 2008/2009, quando defendia o Hamburgo. Naquela ocasião, ele jogou 43 vezes, tendo começado como titular em 35 delas.

Em 2013, Guerrero começou jogando em iguais 43 partidas pelo Corinthians, sem contar os compromissos pela seleção de seu país. Seu único problema médico foi no primeiro semestre, quando perdeu um jogo da Copa Libertadores por conta de uma lesão na coxa. Agora, ele perderá o compromisso contra o Atlético-PR, nesta quarta, e pode não jogar diante do São Paulo, no fim de semana.

'Ele teve uma pequena fissura em um dedo do pé esquerdo', disse Julio Stancati, médico do Corinthians, que confirmou que o atleta recebeu infiltrações para jogar em partidas recentes. 'Foi um bloqueio anestésico, que não interfere na recuperação. Aconteceu nas duas últimas semanas, para reduzir a dor que ele sentia', completou.

Guerrero deveria estar a serviço da seleção de seu país, que joga contra a Argentina na próxima sexta, pelas eliminatórias para a Copa do Mundo. Na última segunda, porém, ele foi cortado por conta do problema médico. Nesta quarta, ele será avaliado por Joaquim Grava, consultor médico alvinegro, para avaliar a gravidade do problema e estipular uma possível data para retorno.

Um eventual período no departamento médico evitaria uma disparidade ainda maior com relação aos seus anos de Europa. No Bayern de Munique e no Hamburgo, Guerrero poucas vezes foi titular absoluto de suas equipes. Em oito anos no Velho Continente, o atacante começou jogando em 17,75 partidas por temporada, em média.

Segundo os profissionais que lidam com o atacante no dia-a-dia, porém, ele não sente os efeitos dessa mudança. 'Eu não tinha conhecimento desses dados, mas ele não tem tido um impacto fora do normal, como alguns jogadores mais velhos. Os índices dele não chamam atenção a ponto de termos de pedir ao Tite para tirar o jogador no segundo tempo, por exemplo', disse Fábio Mahseredjian, preparador físico do clube.

Foto: UOL

Fonte: Terceiro Tempo

Veja Mais:

  • Pablo foi campeão paulista e brasileiro pelo Corinthians em 2017

    Corinthians volta a negociar com Pablo e pode contratá-lo para 2018, diz portal

    ver detalhes
  • Kazim não deve permanecer no Corinthians em 2018

    Corinthians quer definir destino de Kazim nos próximos dias; chegada de Dutra deve atrapalhar turco

    ver detalhes
  • Fellipe Bastos pode ser emprestado para outro clube em 2018

    Com chegada de reforço, Corinthians estuda empréstimo de Fellipe Bastos

    ver detalhes
  • Minds Idiomas segue na manga da camisa corinthiana em 2018

    Com até bolsa de estudos a jogadores, Corinthians renova com patrocinador para manga da camisa

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes