Copa 2014: Corinthians e Odebrecht negam alerta sobre guindaste

Copa 2014: Corinthians e Odebrecht negam alerta sobre guindaste

Copa 2014: Corinthians e Odebrecht negam alerta sobre guindaste

Copa 2014: Corinthians e Odebrecht negam alerta sobre guindaste

A construtora Odebrecht e o Corinthians divulgaram comunicado na tarde desta quinta-feira para negar a denúncia feita mais cedo pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil de SP), Antônio de Souza Ramalho. Segundo ele, um operário que trabalha nas obras da Arena Corinthians teria feito um alerta sobre problemas no guindaste algumas horas antes do acidente que provocou a morte de duas pessoas e destruiu um setor do estádio.


De acordo com a denúncia feita nesta quinta-feira por Antônio de Souza Ramalho, um operário teria alertado seus superiores sobre possíveis problemas na base de sustentação do guindaste que tombou na Arena Corinthians. Esse aviso teria acontecido por volta das 8 horas da manhã de quarta, aproximadamente quatro horas e meia antes do acidente. E, ainda segundo o presidente do Sintracon-SP, a ordem dos responsáveis pela obra foi para que o trabalho continuasse normalmente.

Antônio de Souza Ramalho contou que, depois do acidente no começo da tarde de quarta-feira, representantes do sindicato começaram a apurar as possíveis causas do ocorrido junto aos operários da obra. 'Soubemos desse fato à noite', informou o dirigente sindical, ressaltando que esse alerta estaria 'documentado'.

Diante da denúncia, a Odebrecht e o Corinthians divulgaram uma nota oficial para afirmar 'que não houve nenhum alerta prévio ao acidente' e também 'negam a ocorrência dos eventos relatados' pelo presidente do Sintracon-SP. O comunicado ressalta ainda que esse sindicato 'não representa os trabalhadores que realizavam as operações de movimentação de guindaste e colocação de estrutura metálica' no estádio corintiano. E lembra que, até então, a construção da Arena Corinthians 'havia registrado 9,5 milhões de horas trabalhadas sem acidentes graves'.

Por conta do acidente, a Defesa Civil de São Paulo interditou 30% da área leste do estádio, justamente no setor onde houve a queda do guindaste - isso corresponde a aproximadamente 5% do total da Arena Corinthians. E a perícia técnica já começou a ser feita para determinar as causas do ocorrido.

Fonte: Futebol Interior

Veja Mais:

  • Artilheiro do Brasileirão, Jô pode levar novo gancho do STJD

    Jô e Clayson, do Corinthians, voltam a ser julgados no STJD

    ver detalhes
  • Antonio Roque Citadini é candidato da oposição à presidência do Timão

    Em defesa à Arena, Citadini lembra crime fiscal de Andrés: 'Arrebentou com as finanças'

    ver detalhes
  • Pablo foi campeão paulista e brasileiro pelo Corinthians em 2017

    Corinthians volta a negociar com Pablo e pode contratá-lo para 2018, diz portal

    ver detalhes
  • Vasconcelos deve ter contrato estendido com o Timão até o fim de 2019

    Corinthians prepara extensão de contrato a artilheiro da Copinha

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes