Tite vai fazer curso da UEFA para poder trabalhar na Europa

Tite vai fazer curso da UEFA para poder trabalhar na Europa

Depois da passagem pelo Corinthians, Tite pretende passar um tempo afastado do trabalho, mas não completamente. Apesar de não ter planos de assumir nenhum clube por enquanto, o técnico quer fazer cursos de aprimoramento na Europa pensando no futuro.

Em fevereiro, Tite deve embarcar para Portugal, onde quer cursar o UEFA Pro, nível máximo de treinamento da confederação europeia de futebol para treinadores. Com isto em mente, Tite pensa até em trabalhar no Velho Continente.

"Eu não vou deitar nos louros da vitória ou das conquistas que eu tive em todos os níveis. Tenho essa consciência profissional de que preciso sempre da reciclagem, do novo, sempre do ajuste, do observar, nem que seja para confirmar conceitos. Para eu trabalhar em outro país, preciso ter, em termos de regularização profissional, um curso da UEFA. Possivelmente em Portugal, em fevereiro. Vou ver se o módulo se confirma. Quero fazer o curso da UEFA Pro, que é o nível mais avançado," revelou o treinador ao programa Fox Sports Radio.

Tite também revelou que pretende passar um tempo acompanhando alguns dos melhores times do mundo de perto.

"Quero acompanhar alguns jogos do Bayern, do Barcelona, quero ver jogos in loco. Tem o jogo na televisão, mas tem também o jogo mais amplo, o jogo da compactação, de quantos se liberam para atacar, de quantos ficam atrás da linha da bola, se é um lateral, um volante, os dois volantes. Dá para observar melhor."

Além dos cursos e partidas, conversas com outros treinadores para trocar experiências também está nos planos de Tite. Carlos Bianchi, multi-campeão com o Boca Juniors, é um dos colegas com quem o ex-técnico do Corinthians mantem contato.

"Eu tive a oportunidade de conversar com o Zagallo e o Parreira. Parreira até me fez um convite da gente sentar juntos e conversar mais, mas já deu pra ouvir umas histórias de 70 e 74 do Zagallo. Pedi para usar o 13 e ele me deu o aval para usar o 13. Também estreitei laços com o [Carlos] Bianchi, quando jogamos contra o Boca Juniors. Independente de qualquer coisa é um cara que tem quatro Libertadores nas costas e toda uma história atrás dele. Aprender com essas experiências é importante."

Por fim, Tite também opinou sobre a violência nos estádios brasileiros. O técnico lembrou a tragédia que matou o menino Kevin Espadas, em Oruro, na Bolívia. Kevin foi atingido na cabeça por um sinalizador disparado pela torcida do Corinthians, fato que deixou Tite muito abalado na época. O técnico chegou a inclusive declarar que seria a favor de uma desclassificação corintiana.

"Tem que pegar. Chega de impunidade. Não deu morte no jogo do Atlético-PR porque Deus não quis. Se nós não pararmos, se não forem punidos - a médio prazo é educação, mas a curto prazo tem que ser punição. O clube, a torcida, precisa ser punida. Eles se escondem atrás do clube e da torcida. Tem gente boa e má em todos os lugares. Mas precisamos parar com isso. Se me perguntarem o que eu gostaria de apagar da minha história, eu escolheria aquele jogo em Oruro," encerrou.

Fonte: Goal

Veja Mais:

  • Zagueiro tem 29 jogos pelo Corinthians: 14 vitórias, dez empates e apenas cinco derrotas

    Novo titular, Pedro Henrique 'perdoa' Guerrero e fala grosso: 'Corinthians briga para ser campeão'

    ver detalhes
  • Copa Sul-Americana terá 32 classificados na segunda fase

    Copa Sul-Americana chega a 21 classificados; torneio pode ter até sete campeões da Libertadores

    ver detalhes
  • Léo Santos (à dir.) deixou atividade mais cedo por conta de bolhas nos pés; Paulo Roberto foi testado na zaga

    Zagueiro deixa treino e faz Carille improvisar nesta quinta-feira; veja escalação do Corinthians

    ver detalhes
  • O meia Régis, do Bahia, recebeu elogios do técnico Fábio Carille

    Corinthians prioriza reforço para a zaga, e dispensa indicação por meia do Bahia

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes