Empresário de Pato diz que Mano não queria mais o atacante no Corinthians

Empresário de Pato diz que Mano não queria mais o atacante no Corinthians

Por Meu Timão

8.0 mil visualizações 81 comentários Comunicar erro

Mano Menezes não queria mais o Pato

Mano Menezes não queria mais o Pato

Eduardo Viana/ LANCE!Press

Nessa sexta-feira, uma matéria publicada no Lancenet mostrou uma entrevista em que o empresário de Alexandre Pato alegou que Mano Menezes, treinador do Corinthians, não queria mais o camisa 7 no Timão.

Segundo Gilmar Veloz, o atacante não era importante para o novo sistema tático do Corinthians e por isso veio a troca com Jadson:

- Ele (Pato) ficou sem espaço com o novo técnico, que queria o Jadson, não o Pato. Ele tinha outra ideia, outro sistema tático na cabeça. O Pato não era importante para o esquema do Mano. Ele pedia um meia. Ganhou. Conheço o Jadson, gosto dele - disse o agente do jogador.

Gilmar também garantiu que Pato está levando a situação numa boa e que Pato buscar renovar seu futebol no clube do Morumbi.

- O São Paulo é um grande clube, disputa todos os títulos. O Pato é jovem. Começa uma nova etapa na carreira. Ele não estava nos planos do técnico Mano Menezes. Sobrou, aí, mudou de clube. Ele é profissional. Não está chateado - declarou o Gilmar.

Veja Mais:

  • Tem clássico! Timão e São Paulo decidem na terça vaga à semifinal da Copa RS

    Corinthians faz clássico contra São Paulo nas quartas da Copa RS

    ver detalhes
  • Rosenberg chamou Leila Pereira de 'imperadora' do Palmeiras e ironizou Allianz: 'Pneu deitado'

    Diretor do Corinthians ironiza Palmeiras e diz que 'Fiel não aceitaria imperadora'

    ver detalhes
  • Corinthians e Internacional se enfrentaram pela liderança do Grupo B da Copa RS

    Corinthians vai bem, mas cede empate para Internacional e deixa escapar liderança na Copa RS

    ver detalhes
  • 'Não sei por que fazem tanto romance em torno disso', declarou Rosenberg sobre dívida pela Arena

    Rosenberg atualiza dívida do Corinthians pela Arena: 'Na pior das hipóteses, deve R$ 650 milhões'

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes