A lenda de Romarino (Crônica)

A lenda de Romarino (Crônica)

Por Plácido Berci

Nas histórias do futebol existem certos personagens que mais parecem ter saído da mitologia ou de histórias em quadrinhos. São heróis de ocasião.

Comenta-se entre os amantes do esporte sobre uma criatura dócil e desligada que costuma se transformar em confrontos com o Palmeiras. Apenas contra o Palmeiras. Dizem por ai se tratar da “lenda de Romarino”.

É unanimidade no meio, que o rendimento de Romarinho, nunca atingiu as expectativas criadas sobre ele depois do gol histórico contra o Boca Juniors, em plena La Bombonera. Exceto claro, nos clássicos contra o Palmeiras.

Diriam então que é só ver um adversário de cor verde na frente que o camisa 31 se transforma. Mas como já enfureceu o torcedor com más atuações diante de Goiás, Guarani e outros de uniforme semelhante, prefiro não afirmar isso.

No dérbi de hoje, porém, o atacante mais uma vez provou que a transformação se dá contra os palestrinos. Teve mais de uma chance para fazer o seu, mas saiu de campo com apenas um feito e alguns bons lances executados. Foi bem e fez continuar “a lenda” contra o arquirrival.

Já são 5 gols em 4 jogos.

Deixando agora a mitologia futebolística de lado, quem também merece menção é o novo camisa dez corintiano. Jadson deu mobilidade ao meio de campo do Corinthians e cumpriu seu papel na armação, mesmo ainda um pouco fora de forma. Saiu do Pacaembu deixando uma boa primeira impressão.

No geral, o Corinthians melhorou o nível de suas atuações – já havia jogado melhor no empate com o Mogi Mirim – e vem conseguindo ao menos criar oportunidades de gol, coisa que dificilmente conseguia ano passado.

Do outro lado, o Palmeiras, foi eficiente e aproveitou uma das poucas chances que conseguiu criar.

Kardec executou com perfeição um cabeceio que poderia muito bem entrar para a cartilha de fundamentos dos atacantes. Antecipou a marcação e testou firme no canto do gol.

No mais, nada de chute no vácuo de Valdívia, de casa cheia ou empurra-empurra no campo. O empate por 1 a 1, no primeiro clássico entre os dois clubes em 2014, foi resultado de um bom jogo e ponto.

Devem discordar Romarinho, o herói de ocasiões, e os torcedores dos dois times.

Afinal, resultados e lendas a parte, como é bom ter de volta um Palmeiras e Corinthians.

Fonte: Blog quatro4dois

Veja Mais:

  • Universidade Brasil firmou acordo com Corinthians para primeiro jogo da final estadual

    Corinthians anuncia patrocínio pontual para final do Paulistão; veja como fica a camiseta

    ver detalhes
  • Alan Mineiro não volta ao Corinthians em 2017

    Corinthians empresta Alan Mineiro para quarto clube diferente em menos de um ano

    ver detalhes
  • Corinthians encerrou preparação contra a Ponte Preta

    Clima bom, susto de Pablo e escalação do Corinthians: o último treino antes da Ponte Preta

    ver detalhes
  • Casuals foi derrotado nos pênaltis neste sábado; próxima temporada só em agosto

    Nos pênaltis, Corinthian-Casuals perde final e adia sonho de subir de divisão

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes