A FIFA já se prepara para pagar o que falta em Itaquera

A FIFA já se prepara para pagar o que falta em Itaquera

Nos bastidores da Fifa já se articula o pagamento dos 50 a 60 milhões de reais necessários para as obras temporárias no estádio que abrirá a Copa do Mundo, o do Corinthians, em Itaquera.

Convencida de que o clube não terá como arcar mesmo diante da palavra de Andrés Sanches, ouvida como apenas para se livrar de Jêróme Valcke, a Fifa, certa de que está diante de um ponto de não retorno, sabe que o evento é seu e que terá de se movimentar.

A caça às bruxas é dramática.

Debilitado fisicamente e obeso, fruto de intenso stress, o chefe do COL, Ricardo Trade, agora acusa o super consultor da Fifa, o americano Jim Brown, contratado a peso de ouro ainda por Ricardo Teixeira, de ser o responsável pelo descalabro, rompendo uma relação que era de parceria.

A Fifa já nem mais faz questão de esconder que está sendo vítima da facada final, ou seja, ou abre os bolsos ou se expõe a um retumbante fracasso em seu maior evento.

Como lidará com isso depois, aí incluídos os compromissos não cumpridos nas áreas de energia e telecomunicações, serão outros 500, provavelmente nos tribunais.

O mínimo que se pode dizer é que não foi por falta de avisos.

Fonte: Blog do Juca

Veja Mais:

  • 'Herói' do Dérbi, Jô deve voltar a ganhar chance como titular diante do Mirassol. Tá querendo!

    Embalado pós-clássico, Corinthians coloca confiança à prova contra sensação do Paulistão

    ver detalhes
  • Gabriel se diz bastante feliz no Corinthians

    Gabriel justifica provocação a ex-clube: 'Faço o que for preciso para defender o Corinthians'

    ver detalhes
  • Corinthians volta a brincar sobre confusão do Dérbi e promete novidade no uniforme

    Corinthians volta a brincar sobre confusão do Dérbi e promete novidade no uniforme

    ver detalhes
  • Furlan apita sexta partida do Corinthians na carreira

    Após polêmica no Dérbi, FPF define trio de arbitragem para próximo jogo do Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes