Estudo diz que afundamento de solo provocou acidente na Arena do Timão

Estudo diz que afundamento de solo provocou acidente na Arena do Timão

De acordo com estudo realizado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, o acidente do dia 27 de novembro de 2013, na Arena Corinthians, no qual dois operários morreram, teve como causa o afundamento do solo. A informação foi divulgada pela Folha de S.Paulo em sua edição desta sexta-feira e o estudo foi encomendado pela Liebherr, construtora do guindaste.

Por volta das 12h daquele dia, o guindaste que fazia a instalação do último módulo da cobertura metálica da arquibancada leste do estádio do Timão cedeu e provocou grave acidente. A peça, que custava em torno de R$ 40 milhões, teve perda total e virou sucata. O estudo da UFRJ, antecipado pelo jornal, deve ser divulgado oficialmente nas próximas semanas.

Segundo a análise da universidade, feita nos seis pontos onde as esteiras do guindaste estavam apoiadas, o solo era muito mais mole do que deveria ser. A medida ideal do terreno para a colocação do guindaste é de 80%. O número na Arena Corinthians era muito baixo: 13%. Em outro critério de avaliação, as medidas do solo deram 6,3, quando o ideal é 10.

O estudo da UFRJ será colocado em meio ao processo de investigação. Estão em análise erro humano e também possível falha no próprio guindaste.

Fonte: globoesporte.com

Veja Mais:

  • Bruno Alves se desligou do Figueirense na Justiça

    Zagueiro anunciado pelo rival foi oferecido antes ao Corinthians

    ver detalhes
  • Moisés, que deve ser titular contra a Chape, com Pedrinho durante treino no CT

    Liberação de Marciel no Corinthians não deve alterar substituto de Arana em Chapecó

    ver detalhes
  • Corinthians é líder mundial nas redes sociais

    Corinthians é a entidade esportiva com melhor performance nas redes sociais do mundo, diz estudo

    ver detalhes
  • Marciel pode ser opção para Carille nesta quarta-feira

    Marciel é liberado e pode ser relacionado pelo Corinthians para viagem a Chapecó

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes