Bom Senso ganha apoio jurídico para fazer greve no Brasileirão

Bom Senso ganha apoio jurídico para fazer greve no Brasileirão

1.3 mil visualizações 20 comentários Comunicar erro

Bom Senso ganha apoio jurídico para fazer greve no Brasileirão

Bom Senso ganha apoio jurídico para fazer greve no Brasileirão

Desde a saída de Paulo André para o futebol chinês, o Bom Senso esteve em silêncio, mas trabalhando para tentar alguma mudança nas estruturas do futebol nacional. Depois de alguns meses 'escondido', o grupo quer paralisar o Brasileirão antes da parada para a Copa do Mundo e, para isto, conseguiu um apoio jurídico.

De acordo com o parecer legal, a greve só será legítima se os jogadores do movimento comunicarem seus clubes da paralisação, pelo menos, 48 horas antes das partidas. O relatório dos advogados diz que eles podem fazer a greve em solidariedade a colegas com salários atrasados e que sofreram ameaças de torcedores.

A realização da greve ainda divide o movimento. O grupo ainda não conseguiu entrar em conseso para definir a paralisação. Algumas lideranças como Paulo André e Alex defendem que os atletas cruzem os braços e não entrem em campo, outras ainda preferem o caminho do diálogo.

Com a adesão de mais de mil jogadores em todo o Brasil, o Bom Senso chegou a realizar protestos em algumas rodadas do Campeonato Brasileiro do ano passado para chamar a atenção da CBF e dos dirigentes dos clubes para suas propostas. Também já se posicionou contra a violência no futebol e os atrasos salariais, ameaçando até mesmo fazer greve nos campeonatos.

No ano passado, os líderes do movimento chegaram a se reunir com dirigentes de clubes e a direção da CBF para apresentar suas propostas, mas sempre reclamaram de um certo descaso dos cartolas. Apesar disso, os jogadores que integram o Bom Senso prometem continuar a luta para implantar suas ideias.

O Bom Senso é um movimento criado por alguns veteranos milionários para supostamente melhorar a qualidade do futebol. Eles pedem mudanças drásticas no calendário, diminuindo o número de jogos. Além disto, o grupo cobra, junto à CBF, regulamentação nas regras trabalhistas e fair play financeiro.

O movimento é formado pela elite dos jogadores do futebol brasileiro e o objetivo é apenas defender os interesses que recebem fortunas. Por outro lado está servindo para desmoralizar os Sindicatos de Atletas, principalmente o Sindicado dos Jogadores Profissionais de São Paulo, que tem no 'perpétuo' presidente Martorelli o mais pelego de todos os presidentes de Sindicato.

Fonte: Futebol Interior

Veja Mais:

  • Corinthians de Fagner não conseguiu estufar as redes do Barradão nesta quarta

    Corinthians aposta na defesa, sai ileso do Barradão e segue vivo na Copa do Brasil

    ver detalhes
  • Ralf deixou campo aos prantos no Barradão

    Ralf sofre luxação no Corinthians, e cirurgia não está descartada

    ver detalhes
  • Jadson teve atuação aquém na estreia do Corinthians na Copa do Brasil

    Jadson, Clayson, Carille... Empate em Salvador rende notas vermelhas a corinthianos

    ver detalhes
  • Roger vai viajar a Belo Horizonte

    Treinador do Corinthians confirma Roger na viagem a Belo Horizonte, mas faz uma ressalva

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes