Na raça e no coração: Corinthians bate o Cruzeiro no Canindé e gruda na ponta

Corinthians Corinthians 1 x 0 Cruzeiro Cruzeiro

Brasileirão 2014

Na raça e no coração: Corinthians bate o Cruzeiro no Canindé e gruda na ponta

Por Meu Timão

Romarinho disputa bola com jogador do Cruzeiro

Romarinho disputa bola com jogador do Cruzeiro

Foto: Miguel Schincariol / Getty Images

O jogo foi complicado, daqueles para chamar de final de campeonato. Mas é esse o fundamento do campeonato de pontos corridos. Toda rodada os mesmos três pontos estão em jogo, sempre é decisão. Só que Corinthians e Cruzeiro entraram em campo nessa noite em uma partida que costumam chamar de seis pontos.

A quatro pontos do líder do campeonato, justamente o time mineiro, restava ao Corinthians vencer e, se sobrasse espaço, convencer. Pois fez os dois bem feito. Despachou o adversário, esbanjou disciplina em campo, não economizou na luta e foi premiado com os três pontos.

Primeiro tempo bom e chances para ambos os lados

Quem não viu a partida, e apenas tomou conhecimento do empate por 0 a 0 ao final dos primeiros 45 minutos, não tem a exata dimensão do ótimo jogo disputado na etapa inicial. O Corinthians com sua proposta de jogo pegado, intensidade e abafa de um lado; o Cruzeiro com uma equipe entrosada, segurando a posse de bola e atacando só “na boa” do outro. Sobraram oportunidades, trabalho para os goleiros e a ausência de gols era injusta para produção de ambos os lados. Principalmente do Corinthians.

Os mineiros levaram perigo em lances pontuais: Willian teve boa chance aos 16 e bateu forte para defesa de Walter. Borges de cabeça, Henrique no rebote e Walter mais uma vez aos 27 minutos. E foi só.

Do lado corinthiano, Jadson comandava as ações, Petros distribuía o jogo, Guerrero e Romarinho caíam pelos lados, Bruno Henrique apoiava e Fagner chegava. Incisivo, envolvente, convincente.

Chegou e foram diversas vezes. Duas em especial chances claríssimas de gol: Jadson, aos 13, após Bruno Henrique e Fagner tabelarem pela direita e o lateral cruzar na medida; Petros, aos 30, após roubar a bola e mandar uma bomba para a meta cruzeirense. Guerrero também tentou, Romarinho apareceu, Bruno Henrique arriscou. Poderia ter sido melhor.

Nos 45 minutos finais, o gol da vitória

A etapa complementar começou movimentada. Apesar de nos três primeiros minutos a bola ficar apenas em pés cruzeirenses, não demorou para o Timão assustar. Romarinho, aos 5, bateu uma bola meio marota que obrigou Fabio a espalmar para escanteio. Na reposição, quase o gol alvinegro em chute de Fabio Santos.

Quase num castigo pela ousadia de perder gols, William Farias bateu de longe e o Corinthians contou com um desvio para se safar do gol. Intenso, tenso. O 0 a 0 não queria permanecer no placar.

O gol queria sair, o Corinthians tentava o gol. Guerrero, em impedimento, quis. Petros, também irregular, tentou. Bruno Henrique, ousado, bateu de primeira. A bola teimava, o tempo passava.

Com o Corinthians as coisas precisam ser difíceis, diferentes. Um time que procurou o gol durante 60 minutos de todas as formas, mas não achou. Só que não desistiu, insistiu.

E aí assistiu.

Assistiu o goleiro Fabio tomar um peru para ninguém botar defeito. Walter repôs a bola e encontrou Guerrero na intermediária. De longe, sem muita força, bateu. A bola quicou no gramado, pegou Fabio se recuperando de um escorregão, bateu mais uma vez no chão e morreu no fundo da rede. 1 a 0 Corinthians, Canindé delirando.

Daí por diante o jogo ficou mais truncado. Ao Corinthians interessava segurar o resultado, mas o fez no campo ofensivo, sem recuar. Empurrou o Cruzeiro para o campo de defesa, sem piedade. Aos 43 minutos, no mesmo lance, primeiro com Petros e depois com Luciano, que havia entrado no lugar de Romarinho, mandou duas bolas na trave. Foi o tom do Corinthians que fez um grande jogo. Fez o jogo.

O público pagante foi de 17.784 pessoas para uma renda de R$ 546.413,00.

O Timão agora tem 15 pontos e é terceiro colocado com a mesma pontuação do Fluminense, que está a frente pelo número de gols pró. O Cruzeiro permanece na liderança, mas a diferença é de apenas um ponto. No domingo, o Corinthians encara o Botafogo, 16h, na Arena Corinthians. Será a última partida antes da parada para a Copa do Mundo.

Quem Atuou

Títulares

Reservas

Técnico

Árbitro

Comente a partida entre Corinthians e Cruzeiro

  • 1000 caracteres restantes