Detidos que jogaram bombas em bar são de organizada do Corinthians, diz PM

Detidos que jogaram bombas em bar são de organizada do Corinthians, diz PM

Três pessoas foram indiciadas por crime de dano após terem atirado bombinhas em um bar lotado de torcedores ingleses no início da tarde desta quinta-feira. De acordo com a Polícia Militar, elas são membros da torcida Camisa 12, do Corinthians. Procurada pela reportagem, a organizada não se manifestou.

Os torcedores foram presos junto com um grupo de 14 pessoas (inicialmente, a polícia havia divulgado que eram 15 detidos, e que haviam sido disparados rojões em direção ao bar, informações que foram retificadas posteriormente) na avenida São João, no centro de São Paulo, próximo ao Vale do Anhagabaú, onde ocorre a Fan Fest. Ninguém se feriu gravemente.

A ocorrência foi registrada no 77º DP, na Santa Cecília, região central da capital. Dos 14 presos inicialmente, somente três foram indiciados porque foram identificados como aqueles que atiraram as bombinhas, que geraram pânico entre os ingleses.

Cerca de cem torcedores da Inglaterra estavam bebendo no estabelecimento, que possui um salão interno e mesas na calçada. Em um determinado momento, um grupo de pessoas passou em frente ao local. Após andarem alguns metros, esses elementos voltaram-se para o bar, atiraram as bombinhas, saíram correndo e entraram em um ônibus.

"Foi inacreditável. Os ingleses não tinham feito nada, estavam só bebendo. Quando começou a estourar aquelas bombas, os gringos se assustaram, muitos entraram correndo no salão do bar, quebraram muitos copos e umas quatro caixas de cerveja", conta Antônio Augusto da Costa Silva, proprietário do Bar Guanabara, onde ocorreu o incidente. "Mas teve também uns ingleses que ficaram muito bravos e saíram correndo atrás dos caras, querendo dar uma lição neles. Mas a polícia chegou primeiro".

De fato, a Polícia Militar agiu rapidamente. Policiais pararam o coletivo e retiraram 14 pessoas de lá. Ao revistar as mochilas que eles carregavam, encontraram um soco inglês, vários rojões e outros fogos de artifício, um protetor bucal desses utilizados por lutadores e até um punhal. Foi todo mundo em cana. Após prestarem depoimento, foram liberados, inclusive aqueles que irão responder por crime de dano, cuja pena vai de um a seis meses de detenção e multa.

Fonte: uol

Veja Mais:

  • Michel (à esq.) e o sobrinho foram ao Maracanã naquele 23 de outubro

    Terceiro corinthiano solto no Rio desabafa: 'Fui pra ver o jogo, não pra brigar'

    ver detalhes
  • Torcedores na Arena poderão adicionar patch da Chapecoense em camisas

    Loja da Arena irá personalizar grátis camisas em homenagem à Chapecoense

    ver detalhes
  • Corinthians já definiu profissionais que devem permanecer e ser negociados

    Isaac, Mendoza, Oswaldo... Confira quem chega e quem sai do Corinthians

    ver detalhes
  • É tudo política, estúpido!

    [Marco Bello] É tudo política, estúpido!

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes