Mano pede que as cobranças caiam de forma adequada e não com 'interesses particulares'

Mano pede que as cobranças caiam de forma adequada e não com 'interesses particulares'

Por Meu Timão

Mano Menezes não aceita as cobranças ao seu trabalho

Mano Menezes não aceita as cobranças ao seu trabalho

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

O treinador do Corinthians, Mano Menezes, tem clara dificuldade em entender as cobranças e protestos que vem sofrendo à frente do clube. Após a vitória contra o Atlético Mineiro, o treinador voltou a falar das manifestações da torcida contra o seu trabalho.

E "deixou no ar" a possibilidade dessas ações ter algo a mais do que o futebol apresentado pelo time.

- A gente não tem que ficar respondendo muito esse tipo de coisa (sobre manifestação). Algumas coisas sabemos que tem interesse peculiar, está ficando assim pela maneira como se disputam eleições atualmente, a parte política. Vamos ter que conviver com isso - afirmou o comandante do Timão, após o triunfo de ontem.

- A mim devem recair cobranças, claro. Só que penso que elas devem ser feitas de maneira adequada - completou Mano Menezes.

E, Mano Menezes falou tudo isso, graças às cobranças de cerca de 50 torcedores que foram ao CT Joaquim Grava com faixas, gritos e rojões. As músicas, em tom de cobrança e ameaça, foram dirigidas ao treinador e aos jogadores, acusados de terem vontade apenas diante do prêmio.

Veja Mais:

  • Alan Mineiro gostaria de permanecer no Corinthians, mas não está nos planos do clube

    Alan Mineiro deve ser vendido pelo Corinthians e disputar a Série B em 2017

    ver detalhes
  • É tudo política, estúpido!

    [Marco Bello] É tudo política, estúpido!

    ver detalhes
  • Diversos torcedores não conseguiram efetuar a troca de ingressos

    Com fila absurda e nova confusão, torcida do Corinthians esgota ingressos para final da LNF

    ver detalhes
  • Oswaldo negou que seus treinos sejam repetitivos

    Oswaldo volta a sinalizar escalação do Corinthians em coletivo e explica semana de treinos

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes