Presidente do Corinthians se irrita com perda de mandos de jogo em programa de TV

Presidente do Corinthians se irrita com perda de mandos de jogo em programa de TV

Por Meu Timão

Mário Gobbi se irritou ao falar sobre perdas de mando

Mário Gobbi se irritou ao falar sobre perdas de mando

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

O presidente alvinegro, Mário Gobbi, passou por momentos de tensão nessa segunda feira no programa Arena SporTv. Ao ser perguntado sobre a perda do mando de uma partida, devido a uma briga entre torcedores corinthianos no jogo contra o São Paulo, o mandatário foi duro em suas palavras:

- Querem que nós, dirigentes de futebol, cuidemos do comportamento do torcedor. Viramos policiais. Quer dizer, a saúde neste país é privatizada, a educação é privatizada. E agora querem privatizar a segurança pública. Então, eu vou abrir um concurso público de policiais do Corinthians e encher o estádio de policiais para, se alguém brigar, apartar. Porque senão o Corinthians perde pontos e isto é uma regra posta no Código de Justiça Desportiva, que não foi recepcionada pela Constituição Federal. Isso é inconstitucional. Além de ser umas normais mais de Ditadura que eu já vi na minha vida. Um recurso para quem não tem recurso. Jogar uma responsabilidade em quem não tem responsabilidade. Eu não tenho que cuidar de marmanjo quando meu ônibus do Corinthians entrar no Morumbi. Eles apedrejam o meu ônibus. Nem a diretoria do São Paulo tem que cuidar disso. Então, o futebol precisa mudar em tudo e eu não acredito que vai mudar em nada e graças a Deus eu estou indo embora, porque é muito triste ver a mediocridade que impera - desabafou Gobbi.

E o presidente não parou de esbravejar por aí:

- Agora, duas torcidas brigam e eu vou ter de perder o mando de jogo? O que eu tenho a ver com isto? Alguém joga uma pilha no campo e eu vou perder mando de jogo? Eu sou responsável por um torcedor que soltou um luminoso, que o segurança deixou passar na porta do estádio? Nós só falamos dos efeitos da criminalidade e ninguém fala das causas da criminalidade. Então, nós temos que cuidar de um marmanjo que a sociedade não cuidou e o Estado também não fez a sua parte. O mais fácil é punir o clube, porque aí você dá uma resposta para a sociedade. 'Olha o Corinthians foi punido, porque a torcida brigou'. Agora, cobrar o aparato estatal, que é dever constitucional fazer a função dele, isso ninguém cobra - disse o dirigente.

Em outro momento tenso do programa, Gobbi levantou o tom de voz ao questionar o que poderia fazer e ouvir de Villaron que poderia parar de dialogar com as organizadas. A resposta também foi dura:

- Tenha santa paciência. O fato de eu conversar não quer dizer que eu concorde com isso aí. O senhor está muito enganado Villaron e preconceituoso. Não ajudo em nada, não vivem do Corinthians, são torcidas organizadas. Você está mentindo. O que você está dizendo é uma mentira. Na minha gestão não tem ajuda para ninguém lá - disse.

O jornalista não se deu pro satisfeito e pediu respeito ao presidente do Corinthians:

- Vivem do Corinthians sim. Essa é a minha opinião, assim como eu respeito a sua, você respeite a minha - finalizou o assunto

O Assunto Guerrero

Quanto a renovação do atacante Guerrero, Gobbi afirmou que a negociação está adiantada e que o peruano não deve sair do Corinthians: '

- Já estamos negociando. E está adiantada a renovação do Guerrero. Ele é a cara do Corinthians e não vai sair do Corinthians. É muito cedo, mas a negociação está em andamento - finalizou.

Veja Mais:

  • Cerca de 200 integrantes de organizadas foram ao Pacaembu neste domingo

    Ato de organizadas tem gritos de 'Vamo Chape' e pedido por liberdade nos estádios

    ver detalhes
  • Kalil, à direita de Roberto de Andrade, pediu licença de 60 dias

    Vice-presidente solicita licença do cargo e dispara contra diretoria do Corinthians

    ver detalhes
  • Bruno César anotou o segundo gol na vitória por 2 a 0

    Ex-jogador do Corinthians marca golaço de falta e dedica à Chapecoense; veja o vídeo

    ver detalhes
  • Maycon conta com o aval de Oswaldo de Oliveira para retorno

    Retorno de Maycon minimiza necessidade por contratação de volante no Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes