Na contramão, Marcelinho Carioca acha que campeonato não pode parar e prega volta ao mata-mata

Na contramão, Marcelinho Carioca acha que campeonato não pode parar e prega volta ao mata-mata

Por Meu Timão

Bi-campeão pelo Corinthians, Marcelinho quer a volta do mata-mata

Bi-campeão pelo Corinthians, Marcelinho quer a volta do mata-mata

O ex-jogador corinthiano Marcelinho Carioca parece ir na contramão da opinião pública: pelo menos no que diz respeito a posição da CBF sobre o calendário da Fifa. Para ele, cabe aos times se organizar e garantir um elenco que não sofra com desfalques por convocação.

Em entrevista à ESPN, Marcelinho citou o caso do Cruzeiro, que apesar de ter dois convocados tem um volumoso banco de reservas que pode lançar mão nas partidas. No caso do Cruzeiro, parte do sucesso das temporadas 2014/2013 vem sido creditado na regularidade do time, fruto de um elenco bastante completo.

Já sobre o mata-mata, Marcelinho - que foi campeão em 1998 e 1999 pelo Corinthians - acredita que o sistema antigo era mais emocionante, especialmente para os atletas. A pressão da torcida e os confrontos entre grandes elencos na final do campeonato, na opinião do craque, faziam o que ele chamou de "disputa maravilhosa".

Segundo ele, apesar de haver justiça na disputa por pontos corridos, faz falta um "friozinho na barriga" que antecedia as grandes decisões, e garante que se houvesse uma pesquisa os atletas também apoiariam o retorno ao mata-mata.

Veja Mais:

  • Arena Corinthians com pouco público neste início de ano

    Sete motivos que explicam a queda do número de adimplentes do Fiel Torcedor

    ver detalhes
  • Carille durante vitória do Corinthians em Osasco

    Carille diz qual foi maior trunfo do Corinthians em vitória sobre Audax

    ver detalhes
  • Atacante turco marcou o único gol da partida

    Kazim marca único gol da partida e Corinthians vence o Audax pelo Paulistão

    ver detalhes
  • Veja o gol da partida Audax 0x1 Corinthians

    VÍDEO: Veja o gol da partida Audax 0x1 Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes