Empresa que instalou arquibancadas provisórias na Arena Corinthians ameaça ir à justiça

Empresa que instalou arquibancadas provisórias na Arena Corinthians ameaça ir à justiça

Por Meu Timão

Provisórias tiveram custo de R$38 milhões, e podem sair ainda mais caras

Provisórias tiveram custo de R$38 milhões, e podem sair ainda mais caras

Foto: Divulgação

As arquibancadas provisórias da Arena Corinthians custaram absurdos R$38,1 milhões - segundo contrato entre Ambev e a Fast Engenharia, empresa responsável pela colocação das arquibancadas na Arena.

O custo, que não era responsabilidade do Corinthians, inicialmente seria pago pelo Governo de São Paulo - que acabou repassando o negócio para a Ambev, que arcou com o investimento. Assinado em agosto de 2013, o contrato previa o valor de R$38,1 milhões - valor que segundo a assessoria da Ambev foi quitado.

Segundo a Folha de São Paulo, que apurou a situação, a assessoria da empresa ainda informou que não há pendência entre as partes. A Fast Engenharia discorda e afirma que ainda faltam cerca de R$8,8 milhões de reais, referentes à serviços adicionais da obra que garantiram a entrega no prazo para a Copa do Mundo.

A Fast Engenharia promete ir à justiça contra Ambev e o Governo de São Paulo caso não haja acordo. O Corinthians não tomou parte na negociação e não deve ser notificado.

Veja Mais:

  • Pablo não deve atuar contra o Fluminense no domingo

    Corinthians desembarca em São Paulo; Pablo não deve jogar contra o Fluminense

    ver detalhes
  • Meia sentiu a costela após dividida com Betão

    Jadson tem fratura constatada e desfalca Corinthians por um mês

    ver detalhes
  • Rodriguinho foi o responsável pela preleção

    Em preleção, Rodriguinho destaca preocupação dos rivais com campanha do Corinthians; assista

    ver detalhes
  • Jô, artilheiro do Corinthians na temporada com 15 gols, não balançou as redes nesta quarta-feira

    Fora de casa, líder Corinthians para na retranca do Avaí e volta a empatar no Brasileirão

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes