Perseguido, Corinthians pode ser punido por cachorro na Arena

Perseguido, Corinthians pode ser punido por cachorro na Arena

Por Meu Timão

Cachorro atrasou o reinicio da partida em 2 minutos

Cachorro atrasou o reinicio da partida em 2 minutos

A perseguição do STJD atrás do Corinthians parece não ter fim. E pra piorar, a invasão em campo de um cachorro pode servir de desculpas pra entidade carioca, dona do Brasileirão, prejudicar o clube do Parque São Jorge mais um vez.

A invasão do cachorro, após a marcação e a desmarcação do pênalti a favor do Corinthians, foi relatada na súmula do péssimo árbitro Jean Pierre Gonçalves Lima.

- Informo que aos 16 minutos do primeiro tempo, a partida ficou paralisada por 2 minutos devido a entrada de cachorro no campo de jogo - escreveu o árbitro, na súmula da partida.

Segundo o artigo 206 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, o Timão pode ser multado por atrasar o jogo em 2 minutos. A pena é de medida administrativa, é pode custar até R$2 mil aos cofres do clube.

Vale lembrar que o Corinthians é o clube com mais denuncias recebidas do STJD, e recentemente foi punido até por deixar cair bexigas no gramado.

O mais estranho de tudo isso, é pensar que o árbitro não deverá ser punido, também por atraso da partida, ao ficar marcando e desmarcando infrações durante a partida.

Veja Mais:

  • Kazim não foi bem contra a Ponte Preta, na estreia do Paulistão

    'Repassem a capivara turca': escalação de Kazim no Corinthians gera repercussão nas redes sociais

    ver detalhes
  • Mateus Vital passou por trote; sobrou até para o técnico Fábio Carille...

    Novo meia do Corinthians passa por trote com direito a zoação contra 'Pep Carille'; assista

    ver detalhes
  • Giovanni Augusto pode atuar na Chapecoense em 2018

    Chapecoense faz sondagem em meia do Corinthians fora de lista do Paulistão

    ver detalhes
  • Andrés Sanchez considera Ronaldo mais importante para o Corinthians que a Arena

    Andrés Sanchez opina sobre o que fez o Corinthians mudar de patamar nos últimos anos

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes