Time campeão da Copa São Paulo nasceu de garimpagem corintiana

Time campeão da Copa São Paulo nasceu de garimpagem corintiana

Enquanto a maioria dos jogadores do Corinthians festejava no meio do campo o título da Copa São Paulo, o artilheiro do time corria pelas laterais do gramado do Pacaembu enrolado em uma bandeira de Rondônia.

Gabriel Vasconcelos, autor de oito gols na competição, nasceu em Porto Velho (RO) e foi entre 2009 e o ano passado jogador do Fluminense.

Sua contratação pelo Corinthains, que comprou 50% dos seus direitos econômicos, resume bem como a equipe sub-20 do clube foi formada.

Os meninos que aprenderam e desenvolveram seu futebol no Parque São Jorge são minoria. Os destaques do time foram identificados por olheiros, negociados por seus antigos clubes e só recentemente desembarcaram no campeão da Copa São Paulo.

Quatro titulares escalados na decisão contra o Botafogo (SP), aliás, já haviam disputado a competição por outras equipes em anos anteriores.

O meia-atacante Marcinho jogou a Copinha de 2012 pelo Vila Nova (GO). Yan atuou pelo Desportivo Brasil na competição em 2013. No ano passado, o zagueiro Rodrigo Sam e o meia Matheus Vargas, dois dos craques do time, jogaram por Marília e Grêmio Osasco, respectivamente.

Além deles, o lateral direito Léo Príncipe e o volante Marciel também não são crias genuínas da base corintiana. O primeiro atuava no Flamengo, e o segundo já passou até pelo futebol italiano (Roma).

O time júnior do Corinthians conta até com um estrangeiro. O meia Gustavo Viera chegou ao Brasil em setembro, indicado pelo ex-zagueiro Gamarra, ídolo do clube. Ele não participou da Copa São Paulo porque está com a seleção paraguaia no Sul-Americano sub-20.

O próprio técnico Osmar Loss é uma estrela das categorias de base. Ele se destacou comandando o Internacional e foi contratado no segundo semestre de 2013. Na primeira Copa São Paulo, perdeu para o Santos e foi vice. Agora, levantou a taça.

Sua chegada ao Corinthians fez parte do mesmo processo de renovação das categorias inferiores que levou ao clube tantos jogadores garimpados em outras partes do país. A ideia era fortalecer a formação de atletas, setor que vinha recebendo críticas dentro do clube.

"Nossa base está muito bem graças ao trabalho dos nossos dirigentes. Futebol é um trabalho de longo prazo", afirmou o diretor de futebol Ronaldo Ximenes.

Fonte: Folha de São Paulo

Veja Mais:

  • Pedro Henrique foi uma das baixas do Corinthians no treino desta sexta

    Com dois desfalques, Corinthians se reapresenta já de olho em duelo contra Grêmio

    ver detalhes
  • Jô pode não viajar até a cidade de Tunja, na Colômbia

    Corinthians deve poupar jogadores e pode ter vários jovens da base na Colômbia

    ver detalhes
  • Guilherme Torres jogará mais quatro anos no Deportivo La Coruña

    Recopa, invasão da Fiel no Japão, Carille, La Coruña... Guilherme Torres fala ao Meu Timão

    ver detalhes
  • Pablo foi tranquilizado mais uma vez pela diretoria do Corinthians, que segue confiante

    Sem pressa e confiante: diretoria do Corinthians nem cogita possibilidade de perder Pablo

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes