Desde 2013, Conmebol mostra rigor em punições após incidentes com torcedores

Desde 2013, Conmebol mostra rigor em punições após incidentes com torcedores

Por Meu Timão

San Lorenzo acabou punido pela segunda vez em dois anos

San Lorenzo acabou punido pela segunda vez em dois anos

Foto: Divulgação

A decisão da Conmebol em proibir o San Lorenzo de jogar com a presença da torcida é a quinta punição da entidade em dois anos para casos de mau comportamento nas arquibancadas, seja por uso de fogos de artifício ou por objetos lançados ao gramado. O atual campeão da Libertadores é punido pela segunda vez. Corinthians, Alianza Lima e Nacional do Uruguai também já precisaram jogar em estádios vazios.

O San Lorenzo não poderá contar com o apoio dos torcedores na partida contra o Corinthians no próximo dia 4. A punição está ligada a atitude de um torcedor. Nos acréscimos da jogo de volta da final da Recopa, contra o River Plate, um dos auxiliares foi atingido na cabeça por um objeto lançado da arquibancada do Novo Gasómetro - o San Lorenzo já perdia por 1 a 0. O árbitro chegou a paralisar a partida por seis minutos.

Em setembro de 2014, o San Lorenzo já havia sido punido, também com um jogo sem torcida, além de multa de 100 mil dólares. O fato deu-se pelo lançamento de rojões em campo durante a segunda partida da final da Libertadores contra o Nacional-PAR. O decisão chegou a ser paralisada por conta da fumaça no gramado.

No mesmo ano, o Alianza Lima acabou punido com três partidas com portões fechados e multa de US$ 150 mil. No dia 27 de agosto, durante uma partida contra o Barcelona (EQU), válida pela Sul-Americana, os torcedores do time peruano fizeram "uso em massa" de rojões. Alguns foram jogados no campo. A partida foi encerrada cinco minutos antes do previsto.

O Nacional, por sua vez, foi punido após uma briga de torcidas na primeira fase da Libertadores 2014. O clube uruguaio pagou multa de 110 dólares e também atuou uma partida com os portões fechados. Os confrontos no Estádio Centenario deixaram 13 policiais feridos. Na ocasião, mais de 40 torcedores foram detidos.

O rigor da Conmebol começou a ser colocado em prática depois da morte do jovem boliviano Kevin Espada, que foi atingido por um rojão lançado por torcedores do Corinthians durante a partida contra o San José, em Oruro, em fevereiro de 2013. Inicialmente, o time alvinegro teria de jogar sem a presença da torcida em toda a Libertadores. A entidade voltou atrás e a equipe foi punida em uma partida, contra o Millonarios. O clube pagou multa de 200 mil dólares.

Veja Mais:

  • Filha dá resposta sensacional ao pai palmeirense: 'Vai, Corinthians'

    Pai força garotinha a cantar música do Palmeiras, e ela surpreende com um 'Vai, Corinthians!'

    ver detalhes
  • Gaviões da Fiel se unirá as outras torcidas organizadas paulitas neste domingo

    Organizadas rivais de São Paulo se unem em evento no Pacaembu em homenagem à Chape

    ver detalhes
  • Oswaldo opinou sobre empréstimo de jogadores à Chape

    Oswaldo opina sobre empréstimo de jogadores do Corinthians à Chapecoense

    ver detalhes
  • Arana pode se transferir para a Inter de Milão nos próximos dias

    Com oferta na mão, Corinthians espera retorno de presidente para definir venda de Arana

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes