Como em 2012, Timão perde lateral e líder do grupo no início da disputa da Libertadores

Como em 2012, Timão perde lateral e líder do grupo no início da disputa da Libertadores

Fabio Santos era o batedor oficial de pênaltis

Fabio Santos era o batedor oficial de pênaltis

Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

Na disputa da Libertadores da América em 2012, ocasião que conquistou o primeiro título e de forma invicta, o Corinthians sofreu uma baixa importante logo no início da competição: o lateral-direito Alessandro, capitão e líder do grupo, tinha problemas musculares sérios e não teria condições de jogo. Fora por tempo indeterminado, o agora coordenador de futebol não tinha um reserva que passasse confiança ao torcedor. Weldinho, opção imediata, não agradava. Edenílson, volante de origem, acabou ganhando oportunidade.

Por algum tempo, Alessandro chegou a perder a posição quando recuperado. Edenilson vinha bem e na meritocracia do técnico Tite seguiu atuando. Foi quando, então, o polivalente volante-lateral-meia e tudo o que o treinador precisava se contundiu e "devolveu" a vaga ao capitão que logo depois levantaria a taça.

Já em 2015, Tite novamente perde o jogador referência do grupo. Ainda que não seja o "capitão dos capitães", já que o técnico promove o rodízio da braçadeira, Fábio Santos é a voz mais forte e influente do grupo. Experiente, multicampeão e com muito tempo de casa, sempre orienta os companheiros, passa tranquilidade, além de já há algum tempo viver uma fase extremamente regular, principalmente no setor defensivo. Em "estado de graça", o camisa 6 vem marcando gols em cobranças de pênaltis com extrema categoria. Sem a presença do jogador, Jadson passa a ser o nome das penalidades alvinegras.

Prestes a realizar uma atroscopia no joelho direito, Fábio abre vaga para o reserva imediato Uendel. O camisa 13 chegou a agradar a torcida no início da temporada 2014 com o desempenho ofensivo, mas deixou a desejar na marcação falhando em diversas oportunidades. O substituto imediato do novo titular passa a ser Guilherme Arana, 17 anos, revelação da base alvinegra.

Outra história que remete ao passado e pode criar uma nova coincidência, é um retorno antecipado do lateral. Em 2011, quando o técnico Tite era pressionado e corria risco no cargo, Fábio foi chamado às pressas para compor o banco no clássico contra o São Paulo, no Morumbi. Com o ombro lesionado, entrou em campo ainda no início da partida após contusão do zagueiro improvisado Leandro Castan. Desde então, o camisa 6 tem muita moral com a torcida.

Ao total, Fabio Santos vestiu a camisa alvinegra 205 vezes e marcou 13 gols. Conquistou o Brasileirão (2011), Libertadores da América e Mundial de Clubes (2012), Recopa Sul-Americana e Paulistão (2013).

Veja Mais:

  • Wladimir será o mais novo colunista do Meu Timão

    Herói de 77 será colunista do Meu Timão

    ver detalhes
  • Dudu revelou que jogadores do Palmeiras tinham conhecimento de confusão feita pelo árbitro no clássico

    Atacante palmeirense diz por que não avisou árbitro de erro em expulsão de Gabriel

    ver detalhes
  • Jadson treinou nesta quinta-feira e não será problema para final no Moisés Lucarelli

    Jadson volta, e Carille ensaia escalação do Corinthians para primeira decisão do Paulista

    ver detalhes
  • Fiel esgotou bilhetes colocados à venda no Fiel Torcedor

    Em menos de uma hora, torcida do Corinthians esgota ingressos para decisão do Paulista

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes