Igualando próprio recorde, Tite fala sobre evolução do Corinthians

Igualando próprio recorde, Tite fala sobre evolução do Corinthians

Por Meu Timão

10 mil visualizações 87 comentários Comunicar erro

Tite no clássico deste domingo, contra o São Paulo

Tite no clássico deste domingo, contra o São Paulo

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Neste domingo, após vencer a disputa contra o São Paulo, no Morumbi, em partida válida pelo Campeonato Paulista, o técnico Tite igualou-se ao seu próprio recorde de invencibilidade vivido entre 2010 e 2011. No total, são treze partidas sem perder desde o início da temporada.

Logo após o confronto, o treinador concedeu entrevista coletiva no Estádio Cícero Pompeu de Toledo. Sobre a vitória com um jogador a menos, o técnico reconheceu que jogos grandes determinam uma situação difícil, e que, para isso, deveria existir mais simplicidade em campo, pois um gol poderia alavancar o resultado.

Enaltecendo toda a equipe, Tite mostrou-se satisfeito e reconheceu a versatilidade de cada jogador. Com Gil expulso, o esquema teve que se adaptar.

"Quero enaltecer o que a equipe tem mostrado. Essa foi a vez do Guerrero. O Cristian, na medida que trouxe dois pivôs, não podia jogar mais com Guerrero. Uma bola que o luis fabiano ou Kardec cabeceasse, era caixa. Tive que trazer Ralf e Elias. Queria fazer a substituição porque precisávamos de velocidade no contra-atque com Malcom ou Petros, mas ai o Fagner sentiu. A equipe com posse procurou triangular, neutralizou a equipe do São Paulo. Ainda mais com a qualidade de Souza e Ganso, a gente conseguiu, por isso estou contente também", afirmou.

O técnico também falou sobre a qualidade de Cássio, a competência de Danilo e a importância dos treinamentos. Confira tudo o que foi abordado durante a coletiva:

Time bem treinado x Time sem padrão

Esse comparativo é o imediatismo no futebol. Está bem e o técnico é bom porque está bem. Eu tenho 27 anos de profissão, o Muciry tem 30 anos. Peço respeito. É uma sequência ruim, mas não é que não tem padrão. O time está em evolução e precisa consolidar. Precisa ficar com onze o tempo inteiro, senão sofre demais, não pode acontecer. A gente tem de corrigir. Não o lance do pênalti, mas o lance anterior a gente poderia ter evitado.

Olhando os defeitos para crescer

É processo de evolução. Vai oscilar e depois mantém padrão de desempenho. É escada. Sobe, mantém, e sobe mais. O que vai acontecer é que são inevitáveis as derrotas. Mas quanto mais para frente jogar... Quarta-feira vai sofrer. Vindo de um jogo com jogador a menos, vindo de um jogo desgastante ao extremo, equipe campeã da Libertadores, quase perdemos o Renato Augusto para joelho estourado. Para controlar isso tudo, tem de olhar os nossos defeitos. Eles estão aprendendo para que haja o crescimento.

Nível de concentração

Quero enaltecer que o nosso nível de concentração tem de ser muito alto. Jogos dessa grandeza, um momento de desconcentração pode determinar o resultado. A gente tem mantido resultado. A gente segurou a peteca, seguramos. Podia ter mantido Danilo para fazer a função, mas não, teria dificuldade de fazer a função porque vai ter desgaste. Peguei Guerrero para fazer a recomposição, antes por dentro e depois pelo lado esquerdo.

Oportunidades

Preparem-se atletas, todos, que as oportunidades vão acontecer. E quando acontecer Uendel, Edu, Edilson, vocês estarão preparados. Se não se preparar com intensidade, exigência, qualidade... Tem de ter essa virtude.

Organização e criatividade

Quando arma a organização, tem espaço maior para criatividade. Depois que repete uma série de movimentos, não precisa pensar, aí dá espaço para criação, para o momento do passe, cavadinha, finalização. É criatividade, é um processo criativo. É o talento, qualidade técnica individual. O primeiro jogo contra o São Paulo foi exceção. É muito difícil reproduzir um nível. Não é o que o São Paulo jogou mal, nós jogamos muito. Tem de manter um padrão. Igual aquele, é uma referência.

Onde precisa melhorar?

Bolas paradas ofensivas, a gente fez duas jogadas ensaiadas, a gente não definiu porque ela deu no poste. Eu copiei essa jogada do Botafogo-SP sub-20. É uma jogada interessante de dupla saída. Estou assistindo ao jogo, pego essa jogada, vamos treinar. Se marcar, bota direto. A gente não fez o gol por uma questão. Tem muita coisa onde a gente ainda pode crescer.

Guerrero

Vocês colocam a gente de saia justa. Eu torço, eu torço. É um cara que sabe quando é cobrado, erra, o técnico diz para ele e ele aceita. Assim como o Gil aceitou que o cartão no primeiro tempo podia ter evitado. Quando a gente aceita o erro, é o primeiro passo para corrigir. Se não aceitar o erro, vai ter a soberba. O grupo tem absorvido isso. É mais fácil quando se vence, é, mas nem por isso vai deixar de fazer. Torço para que fique, é um cara identificado.

Veja Mais:

  • João Celeri assinou contrato com o Corinthians na última quarta-feira

    'Destino' pós-Juninho e inspiração em Guerrero: reforço do Corinthians Sub-20 fala ao Meu Timão

    ver detalhes
  • Gustavinho foi um dos destaques do Timão em vitória diante do América

    Em recuperação, Corinthians conquista segunda vitória no Campeonato Paulista de Basquete

    ver detalhes
  • Jadson marcou de falta o gol contra a Chapecoense, pela Copa do Brasil

    Análise: Corinthians garante classificação na Copa do Brasil e sofre pouco diante da Chapecoense

    ver detalhes
  • Dupla voltou de Chapecó com problemas físicos e pode se tornar baixa

    Dupla será reavaliada e pode se juntar a Cássio como desfalque para Corinthians no sábado

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes