Ataque não funciona, defesa falha e Corinthians se complica na Libertadores

Corinthians Corinthians 0 x 2 Guaraní Guaraní

Libertadores 2015

Ataque não funciona, defesa falha e Corinthians se complica na Libertadores

Por Meu Timão

O Corinthians não conseguiu levar seu futebol para o Paraguai e diminuiu suas chances de continuar na Libertadores

O Corinthians não conseguiu levar seu futebol para o Paraguai e diminuiu suas chances de continuar na Libertadores

Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

Depois de duas semanas sem entrar em campo, o Timão foi ao Paraguay para enfrentar o Guaraní pela Libertadores pelas oitavas de final. Depois de uma maratona de jogos, Tite finalmente teve tempo para trabalhar a equipe.

O treinador, porém, precisou vencer o desafio de perder Sheik e seu substituto direto - Stiven Mendoza, que foram expulsos na partida contra o São Paulo. Por isso, o Corinthians acabou entrando em campo com Luciano, que não tinha oportunidade na equipe titular desde o dia 29 de março.

A equipe titular do Timão para o jogo foi composta por Cássio, Fagner, Felipe, Gil e Fábio Santos; Ralf; Elias, Renato Augusto, Jadson e Luciano; Guerrero. O atacante peruano, finalmente recuperado da dengue, foi a boa notícia do lado corinthiano.

Primeiro tempo

No vazio Defensores del Chaco, a partida começou com um ritmo mais tranquilo do que esperado para um mata-mata da Libertadores. No estádio, a iluminação mais baixa - bem diferente da claridade da Arena Corinthians causou estranheza nos torcedores.

Apesar disso, o Guaraní não se mostrou um adversário tão fácil quanto se podia imaginar. A equipe paraguaia não se intimidou com o Corinthians e criou oportunidades sempre que possível, mantendo uma formação tática bastante disciplinada. Já o Timão, com menos entrosamento que o normal em seu ataque, não foi tão ofensivo na etapa inicial.

Até os 30 minutos, o Corinthians tinha criado pouquíssimas oportunidades, conquistado apenas dois escanteios e atuado de forma muito equilibrada com os donos da casa. Sem ousadia no ataque, as melhores chances na etapa foram criadas pela equipe do Guaraní, que fez uma primeira etapa um pouco mais consistente que o Timão.

Faltando 15 minutos para o fim do primeiro tempo, o time paraguaio perdeu o defensor Filippini, lesionado, para a entrada de Contrera. A substituição não mudou o sistema de jogo dos paraguaios, mas o período de atendimento à Filippini foi bem aproveitado por Tite.

O treinador reuniu a equipe e cobrou maior raça na partida: e o elenco atendeu. Os minutos finais do jogo foram mais ao esquema do Timão e agradaram a torcida. A mudança no ritmo determinou finalmente um início para partida - que seguia morna até então - curiosamente no momento em que terminaram de entrar no estádio muitos torcedores do Guaraní e Corinthians.

Mesmo com o ritmo melho, aos 43 minutos, porém, o Corinthians esteve perto de sofrer o revés. Luciano sentiu o músculo quando acompanhava o atacante do Guaraní, e ficou para trás na cobertura. Benítez, cara a cara com Cássio, ficou muito perto de marcar. O Timão foi salvo por Gil, que em cima da linha, tirou a bola e evitou o gol.

Segundo tempo

Apesar da lesão ter gerado dúvidas sobre a continuidade de Luciano na partida, o Corinthians voltou igual para a segunda etapa. Porém, os primeiros minutos foram do adversário que criou duas chances de gol, levando perigo para as traves de Cássio. O Timão demorou mais uma vez para encontrar o ritmo e deixou o atacante Santander com muita liberdade na área.

Aos 15 minutos, Tite planejava sua primeira alteração, sacando Luciano para colocar Malcom. Porém, em lance de falta minutos antes da alteração, o mesmo Santander cobrou rasteira. Cássio falhou no lance e aceitou o gol do Guaraní.

Agora, restaria ao Corinthians pouco mais que 25 minutos para reverter o resultado, ou garantir ao menos o empate em Assunção. Até esse momento, apesar de quase 60% da posse de bola, o Timão só havia conseguido 4 finalizações - nenhuma para o gol.

Por isso, o treinador acabou por chamar o meia Danilo, que entrou no lugar de Luciano. Com o camisa 20, a equipe voltou a triangular e retomou seu toque de bola característico - a mudança surtiu efeito imediato e Fábio Santos passou bem perto de marcar com um chute que bateu caprichosamente na trave.

Aos 30 minutos, Tite fez mais uma mudança: sacou Ralf e buscou deixar o time um pouco mais ofensivo com a entrada de Bruno Henrique. Na sequência, Malcom veio no lugar de Jadson consumindo a última alteração na equipe.

Com o ataque mais descansado, o Corinthians começou a criar mais, porém, novamente na falha individual sofreu o gol. Contrera venceu a disputa de bola com Felipe e marcou o segundo gol, que complicou a classificação do Corinthians na Libertadores.

A decisão termina na próxima quarta, porém, o Timão voltará a se encontrar com o Guaraní, desta vez na Arena Corinthians. Com o resultado desta noite, o time precisará da vitória com pelo menos três gols de vantagem se quiser permanecer na competição.

O próximo jogo do Corinthians será contra o Cruzeiro, no domingo, na Arena Pantanal. O time mineiro perdeu o direito de atuar em casa na estreia do Brasileirão após conflitos entre torcidas rivais no clássico, e acabou levando a partida para Cuiabá.

Quem Atuou

Títulares

Reservas

Técnico

Árbitro

Comente a partida entre Corinthians e Guaraní

  • 1000 caracteres restantes