Jovem ferido em briga antes do jogo do Timão e Joinville conta: 'Só senti o impacto'

Jovem ferido em briga antes do jogo do Timão e Joinville conta: 'Só senti o impacto'

Por Meu Timão

Violência fora do estádio marcou confronto entre Corinthians e Joinville

Violência fora do estádio marcou confronto entre Corinthians e Joinville

Foto: Ricardo Taves/Ag. Corinthians

Alguns incidentes marcaram o confronto entre Corinthians e Joinville, na noite do último sábado. Além do carro de corinthianos ter sido apedrejado por seis torcedores rivais, há poucos minutos do início da partida, uma confusão generalizada tomou se firmou nos arredores da Arena Joinville.

Polícia Militar e torcedores de Corinthians e Joinville foram responsáveis pela desordem. A confusão, porém, causou a perda da visão do olho direito a Jonathan Willian, torcedor de apenas 14 anos do time de Santa Catarina. Depois de um amigo da vítima afirmar que o ferimento teria sido em decorrência de ação da PM, a confirmação foi feita à mãe do garoto, pelo médico que o socorreu.

"Quando o médico chegou no hospital e o examinou, falou que era uma bola de borracha. Ele disse: “Mãe, ele não tem mais olho. Explodiu. Não tem mais o que fazer”. Rasgou a pele, dividiu em quatro partes, o médico teve que refazer tudo. Agora é recuperação, aconselharam procurar um psicólogo para ele. Ele não viu o ferimento, não quer ver. Um dia me perguntou se eu o amaria se ficasse feio (chorando). Qual a mãe que acha o filho feio? Meu desespero era ficar daquele jeito. Depois o médico falou que a prótese não vai enxergar, mas vai ficar igual ao outro olho", relatou a mãe do torcedor em entrevista à RBS TV Joinville.

O jovem, por sua vez, contou: "Não estava no meio da briga, estava mais para frente. Estávamos bem distantes da briga, foi quando o policial atirou. Não sei se foi porque quis, mas pegou em mim, foi uma bala. O médico disse que quando entrou no fundo do olho, ela explodiu. Eu só senti o impacto. Não doeu muito. Botei a mão e vi o sangue escorrendo e não tinha nada. Aí me levaram para outro lado da rua e tirei a camisa para tampar o ferimento. A ambulância foi chamada, que demorou a chegar porque não tinha como passar por causa da confusão. Quando fecho o olho parece que está vindo bala na minha cara".

Mesmo após o trauma, afirmou que continuará torcendo: "Como já tinha visto outras brigas na tevê, não tinha medo. Mas perder a visão foi difícil saber. Não sei como vai ficar, disseram que vão colocar uma prótese e de que vai ficar igual ao outro olho. Não sei se vai ficar igual. Quando eu estiver melhor, vou voltar. Não vou por causa de amigo, mas porque gosto de ver o JEC jogar, uma paixão que surgiu na minha vida. Não pretendo largar, minha mãe quer que eu largue, mas não quero largar".

Jonathan Willian foi liberado neste domingo e se recupera em casa. Após o ocorrido, a Polícia Militar abrirá inquérito para julgar se o ferimento que causou a perda de visão ao jovem foi realmente causado por um disparo de bala de borracha.

Veja Mais:

  • Romero será um dos titulares na última partida do ano

    Libertadores, vingança e tributo: Corinthians encara Cruzeiro neste domingo

    ver detalhes
  • Patch de homenagem a Chapecoense na camisa do Corinthians

    Veja imagens da camisa do Corinthians com o patch da homenagem a Chapecoense

    ver detalhes
  • Marinho vem sendo pedido por torcedores do Corinthians para 2017

    Pedido pela torcida do Corinthians, Marinho admite deixar Vitória em 2017

    ver detalhes
  • Simi passou sete anos no Corinthians

    Simi reclama de saída do Corinthians e projeta 'final às avessas' da LNF no Parque São Jorge

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes