Rosenberg explica diferenças entre Allianz Parque e Arena e detona gestão corinthiana

Rosenberg explica diferenças entre Allianz Parque e Arena e detona gestão corinthiana

Por Meu Timão

Rosenberg criticou Allianz Parque e gestão corinthiana sobre a Arena Corinthians

Rosenberg criticou Allianz Parque e gestão corinthiana sobre a Arena Corinthians

Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

Um dos idealizadores da Arena Corinthians, não anda muito satisfeito com os rumos que a casa corinthiana está tomando. Com mais de um ano desde a sua inauguração, o estádio segue sem estar 100% concluído e sem uma negociação em relação aos naming rights. Por isso, Luis Paulo Rosenberg, ex-vice presidente do clube, lamenta a atual gestão alvinegra sobre o estádio e diz que tudo está sendo feito com um "amadorismo de dar pena".

"Era para ser um shopping center sofisticado. O que houve? Primeiro, o estádio não está pronto até hoje, tem uns trapos cobrindo o pavimento que deveria ser de mármore, buracos aparecendo no ar condicionado, acabamento bem padrão empreiteira. Isso tudo desvaloriza o produto e o fato dele não ser vendido abaixo o preço. Não é tanto a distância, em um jogo noturno é dfícil, mas sábado e domingo você vai e volta em meia hora. É muito acesso, muito confortável. Você entra dentro do estádio, estaciona e sobe. Mas tudo isso está desarticulado e está sendo tratado com um amadorismo que, infelizmente, dá pena", declarou o ex-dirigente em entrevista ao canal "BandSports".

"Principalmente no prédio Oeste, que é aquele destinado a população de mais alta renda. Ele exigiu um trabalho muito profissional de marketing. A venda de cativas e de camarotes tinha que começar enquanto existia aquele deslumbramento, o estádio tinha que estar completo na época da Copa do Mundo. Os camarotes supostamente teriam acabamento que fariam com que empresas levassem seus fornecedores, seus clientes para eventos lá fora de dia de jogo. Em dia de jogo, então, seria uma festa", completou.

Em março deste ano, Rosenberg foi convidado por Andrés Sanchez para ser o responsável pela gestão da Arena Corinthians. No entanto, após algumas exigências, o superintendente de futebol do Timão voltou atrás. Fora dos negócios do clube, Rosenberg vê muitas críticas ao estádio alvinegro e inúmeras comparações em relação ao Allianz Parque, estádio do rival Palmeiras. O ex-vice presidente fez questão de explicar porque a escolha alvinegra foi melhor e não deixou de cornetar a casa do rival.

"Foram duas opções do momento: o Palmeiras optou por não construir seu estádio, por não ter o seu estádio, dar o uso do seu terreno por 30 anos e ficar com a arrecadação do dia do jogo. Ele paga para treinar, não é dono no estádio. Mas é uma operação bem negociada em que essa renda, esse 'jurinho' que ele recebe, vem e vem seguro, independente da competência deles. Já no caso do Corinthians a opção foi por gerir. Porque quando você pega o projeto de viabilidade do estádio, usando todas as receitas que ele é capaz, sobraria e ainda pagava a dívida do seu próprio estádio. O projeto foi como o Corinthians quis, não é um pneu deitado em cima de um terreno. É uma coisa monumental", cutucou.

"Agora, isso pressupõe competência, habilidade para fazer a venda dos naming rights, trazer um grupo internacional para fazer a gestão de alimentação e bebidas, um talento especializado na gestão de estacionamento. Enfim, o potencial de gerar de renda do estádio é que não foi observado. O que nós observamos é que nesses últimos dois anos o resultado é pífio...aí não tem quem aguenta. Você optou por comprar uma empresa e não está gerindo essa empresa. O Palmeiras garantiu uma defesa contra incompetência, o Corinthians não", completou.

Torcedor do Corinthians e muito apaixonado pelo clube, Luis Paulo Rosenberg ainda lamentou a situação atual do clube: "Só olhar o balanço, não é um conceito subjetivo. Objetivamente o Corinthians não está conseguindo nem manter aquela trajetória ascendente, nem ao menos honrar com suas próprias despesas. É lamentável", finalizou.

Veja Mais:

  • Roberto de Andrade assumiu presidência do Corinthians em fevereiro de 2015 e segue até 2018

    Conselheiros barram votação do impeachment, e Roberto de Andrade segue presidente do Corinthians

    ver detalhes
  • Votação do impeachment no Parque São Jorge

    Confira em tempo real a votação do impeachment de Roberto de Andrade

    ver detalhes
  • Rodriguinho deve ser uma das opções para o Corinthians no BR-17

    Corinthians tem Chape e clássicos logo no começo; veja a tabela completa do BR-17

    ver detalhes
  • Roberto de Andrade pode ser afastado nesta segunda-feira

    Linha do tempo e opiniões de conselheiros: tudo sobre o tema impeachment no Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes