Agora ex-Timão, Petros reverencia torcida e diz que espera voltar um dia

Agora ex-Timão, Petros reverencia torcida e diz que espera voltar um dia

Por Meu Timão

Petros diz que tira o chapéu para a torcida corinthiana

Petros diz que tira o chapéu para a torcida corinthiana

Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

Depois de assinar contrato com o Betis, da Espanha, o meia Petros falou sobre sua passagem pelo Corinthians. Apesar de curta e sem nenhum título, o jogador espera ficar marcado na memória dos corinthianos pela sua dedicação apresentada em campo.

"Muitas vezes as pessoas não entendem o que se passa, e também não estou aqui para entrar nesse mérito porque daria muito problema, mas o meu sentimento é de gratidão. Brinco que o Corinthians tem e teve jogadores muito melhores do que eu, não estou incluído nesta lista, mas tenho uma só certeza que guardo no coração: a de que nenhum jogador jamais se dedicou, se doou e deu sua vida ao clube como eu. É meu grande legado. Infelizmente não consegui deixar título nenhum, mas deixo o legado da raça e do sangue", declarou o jogador em entrevista ao GloboEsporte.com.

Petros deixa a equipe devido ao complicado momento financeiro que esta enfrenta. Apesar de seu contrato ir até 2018, o jogador foi vendido ao clube espanhol e o valor recebido foi usado para ajudar a quitar a divida do clube com seu empresário, Fernando Garcia. Grato por todo o apoio da torcida, Petros diz que espera retornar ao Timão um dia e, dessa vez, ganhar títulos.

"Estou feliz e honrado de ter defendido o Corinthians. Agradeço diretoria, comissão técnica e os meus companheiros. Vou sentir muita falta deles, muita mesmo, pois acabaram virando a minha família. E também ao torcedor. Como fiz no primeiro gol, tiro o chapéu para eles. Fica o meu agradecimento. Espero um dia voltar para conquistar vários títulos. Eles merecem", afirmou.

O jogador agora retorna ao Brasil e deve se apresentar ao Betis apenas dia 7 de julho. Petros, que pretende ir ao CT Joaquim Grava se despedir de seus ex-colegas, afirmou que, antes de aceitar negociar com o clube da Espanha, conversou com o ex-jogador Denilson, ex-Betis, para pedir referências sobre a equipe e a cidade de Sevilha.

"Denilson me falou que meu estilo de jogo é muito compatível com o que gostam aqui, que eu deveria ficar tranquilo, pois estava vindo para uma cidade maravilhosa e acolhedora. E que a torcida ia me adorar pela raça e dedicação".

Ele ainda fez uma breve comparação entre a dificuldade de atuar no Campeonato Brasileiro, onde muitos clubes disputam o título, e o Campeonato Espanhol, que nos últimos anos tem sido dominado por Real Madrid, Barcelona e Atlético de Madrid.

"Campeonato nenhum é como o Brasileiro, com 10 ou 12 equipes que podem ser campeãs. Sei da dificuldade (para ser campeão), é uma da principais ligas do mundo, conta com os principais jogadores, tanto que os três primeiros do Bola de Ouro devem ser Messi, Cristiano Ronaldo e Neymar, e eles jogam esta liga. Para mim, realmente, será um prazer participar disto, espero aprender muito e mostrar tudo o que sei para dar um passo ainda maior na carreira. É muito claro que o Betis está se reestruturando, voltando para o seu lugar de origem e sei que não é tão simples conquistar um título, mas vamos trabalhar para elevá-lo o máximo que conseguirmos", completou.

Veja Mais:

  • Michel (à esq.) e o sobrinho foram ao Maracanã naquele 23 de outubro

    Terceiro corinthiano solto no Rio desabafa: 'Fui pra ver o jogo, não pra brigar'

    ver detalhes
  • Torcedores na Arena poderão adicionar patch da Chapecoense em camisas

    Loja da Arena irá personalizar grátis camisas em homenagem à Chapecoense

    ver detalhes
  • Corinthians já definiu profissionais que devem permanecer e ser negociados

    Isaac, Mendoza, Oswaldo... Confira quem chega e quem sai do Corinthians

    ver detalhes
  • É tudo política, estúpido!

    [Marco Bello] É tudo política, estúpido!

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes