Dirigentes bolivianos presos são acusados de desviar dinheiro de amistoso por Kevin

Dirigentes bolivianos presos são acusados de desviar dinheiro de amistoso por Kevin

Por Meu Timão

Família de Kevin não recebeu até hoje renda da partida feita em homenagem ao jovem

Família de Kevin não recebeu até hoje renda da partida feita em homenagem ao jovem

Foto: Julia Chequer/Folhapress

Nessa semana, dois membros da Federação Boliviana de Futebol (FBF) foram presos acusados de diversos crimes durante os seus mandados. Carlos Chávez, presidente da FPF, e Alberto Lozada, secretário executivo, estão sendo acusados de um desvio da renda do amistoso realizado em homenagem a Kevin Beltran Espada.

A partida especial aconteceu em 2013, quando Brasil e Bolívia se enfrentaram e a Seleção venceu por 4 a 0. Realizado em Santa Cruz de la Sierra, o jogo teve uma renda de R$ 1,087 milhão (pela cotação da época) - R$ 42 mil (3,9%) deste valor seria doado à família de Kevin.

A doação, no entanto, não aconteceu até hoje. Dois anos depois do ocorrido, o pai de Kelvin, Limbert Beltran, foi ouvido pela Justiça boliviana e reiterou que não recebeu o dinheiro.

"Faz tempo que não contamos mais com a suposta doação. O mais importante é que essas pessoas sejam devidamente punidas, porque o que fizeram é a coisa mais baixa que se pode fazer: manipular os sentimentos de pessoas. Eles se aproveitaram da morte do meu filho para promover aquela partida", afirmou, em entrevista à Gazeta Esportiva.

"Meu interesse era saber se efetivariam a doação ou não, já que usaram o nome do meu filho, mas nunca tive uma resposta. Sempre me deixavam esperando ou não respondiam. Com o tempo, fomos deixando isso de lado", completou, contando que já no dia seguinte ao jogo entrou em contato para saber do dinheiro.

Já preso, Carlos Chávez concedeu entrevista e se defendeu das acusações, alegando que a partida em questão já estava marcada antes da morte de Kevin.

"Fomos apanhados por uma única questão que é o jogo da Bolívia com o Brasil. Mas, se você lembrar, eu anunciei isso antes do evento infeliz da morte do jovem Kevin em uma partida em San Jose com o Corinthians. Anunciei quatro meses antes e eu não sou adivinho para saber que uma desgraça ia acontecer", se defendeu Carlos Chávez, em entrevista ao jornal boliviano "La Razon".

"Só estou explicando porque a partida era supostamente para a família Beltran, para a vítima e não para a FPF. Os recursos apropriados não pertenciam a nós e isso é totalmente falso e eles vão demonstrar", completou, dizendo que tem provas de sua inocência.

Kevin Beltran Espada foi morto durante o jogo entre San José e Corinthians, pela Copa Libertadores de 2013. Um sinalizador soltado do lado da torcida do Timão acertou o garoto de maneira fatal.

Veja Mais:

  • Farfán foi companheiro de Guerrero na seleção do Peru

    Jornalista revela interesse do Corinthians em atacante peruano

    ver detalhes
  • Camisa a ser usada pelo Corinthians contra o Cruzeiro tem escudo da Chapecoense

    Em ação no Twitter, Corinthians exibe uniforme em homenagem à Chapecoense

    ver detalhes
  • Equipe feminina do Timão foi ao CT Joaquim Grava no início de novembro

    Corinthians renova parceria com Audax e confirma equipe feminina para 2017

    ver detalhes
  • Castán posta foto com taça do penta e recebe pedidos para voltar; veja

    Castán posta foto com taça do penta e recebe pedidos para voltar; veja

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes