Andrés prevê aumento de 250% da renda do Corinthians após pagamento da Arena

Andrés prevê aumento de 250% da renda do Corinthians após pagamento da Arena

Por Meu Timão

Durante participação em um programa esportivo, Andrés Sanchez repassou os valores da Arena Corinthians

Durante participação em um programa esportivo, Andrés Sanchez repassou os valores da Arena Corinthians

Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

Atual superintendente de futebol do Corinthians, Andrés Sanchez detalhou os valores da Arena Corinthians, inaugurada em maio de 2014. De acordo com o dirigente, o Timão terá um aumento de 250% em sua renda após o pagamento da construção do estádio alvinegro, localizado na zona leste de São Paulo.

“O que o Corinthians pode fazer, se conseguir arrecadar muito mais, é antecipar o pagamento (ao BNDES) pra diminuir os juros. Então, ao invés de pagar em 12 anos, pagamos em seis, sete. Quanto antes pagarmos, 100% o estádio é do Corinthians. O Corinthians hoje arrecada, em média, R$ 250 mi, R$ 200 milhões ao ano. Com a Arena 100% do Corinthians, vai pra R$ 700 milhões”, garantiu Sanchez, durante participação no programa Seleção SporTV.

Explica-se: o custo total da Arena Corinthians, com juros e correção monetária, está em R$ 1,15 bilhão. De acordo com o próprio mandatário, o clube busca ceder os naming rights por R$ 350 milhões, além de negociar R$ 490 milhões em CIDs (Certificado de Incentivo ao Desenvolvimento). O prazo para quitar os empréstimos é de 12 anos.

“O (estádio) do Corinthians custou R$ 985 milhões. O resto é juros”, acrescentou o dirigente, que ainda descartou vender a Arena à construtora Odebrecht. “Jamais. A própria Odebrecht queria comprar o estádio do Corinthians por 20, 30, 40 anos. Mas nós corinthianos não aceitamos, quem tem que pagar o estádio é o Corinthians. Ou você vai à Justiça pra fazer um acordo como alguns clubes estão fazendo por aí...”, ironizou, em referência à briga judicial entre Palmeiras e WTorre, empresa responsável pela construção do Allianz Parque.

Outro assunto abordado por Andrés foi o custo para a realização de jogos em Itaquera. Atualmente, o clube consegue embolsar somente metade da renda bruta das partidas do Timão dentro da Arena. “O Corinthians gasta de R$ 2,5 mi a R$ 3,5 milhões por mês. A conta que eu faço é o seguinte: deu R$ 3 milhões em renda, o clube não fica com mais de 50%. Quando bem trabalhado, é no máximo 50%, com imposto, pessoas que têm que trabalhar no dia, ISS (Imposto Sobre Serviços), um monte de coisa...”, afirmou.

Por fim, o superintende corinthiano descartou novas mudanças nos preços de ingressos do estádio alvinegro. “Essa mudança que houve agora foi porque no prédio Leste, onde era R$ 150, vamos trazer esses 3.500, 4.000 sócio-torcedores pro Oeste Superior, e você vai liberar a R$ 100 pra se vender mais ingressos. E onde fica muitos lugares vazios é a VIP, onde nem é pra se vender ingressos e sim alugar cadeiras por ano, por isso o preço maior, de 3.500 a 10 mil reais, depende do local. A única coisa que falta realmente terminar e está prejudicando é o Centro de Convenção e o restaurante. A Odebrecht no fim do mês já sai do estádio”, finalizou.

Veja Mais:

  • Jô está de férias e só volta ao CT Joaquim Grava em janeiro

    Jô é liberado pelo Corinthians para férias e não aparece no CT nesta sexta

    ver detalhes
  • Corinthians fará sua terceira participação na Florida Cup

    Participante desde primeira edição, Corinthians tem benefício financeiro na Florida Cup

    ver detalhes
  • Farfán foi companheiro de Guerrero na seleção do Peru

    Jornalista revela interesse do Corinthians em atacante peruano

    ver detalhes
  • Camisa a ser usada pelo Corinthians contra o Cruzeiro tem escudo da Chapecoense

    Em ação no Twitter, Corinthians exibe uniforme em homenagem à Chapecoense

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes