Redução de preços na Arena Corinthians auxilia em negociações por ações de marketing

Redução de preços na Arena Corinthians auxilia em negociações por ações de marketing

Por Vinícius Souza*

Gerente de planejamento da Arena Corinthians, Thiago de Rose foi um dos palestrantes no evento Futebol 3.0

Gerente de planejamento da Arena Corinthians, Thiago de Rose foi um dos palestrantes no evento Futebol 3.0

Foto: Reprodução/Facebook

A redução nos preços de ingressos da Arena Corinthians não trouxe benefícios apenas aos torcedores. A nova política de valores, anunciada de forma oficial pelo Timão no último dia 4, está diretamente relacionada com a aproximação de novos investidores e ações de marketing ao estádio alvinegro.

De acordo com Thiago de Rose, gerente de planejamento da Arena Corinthians, o reajuste dos preços implica em uma maior “experiência” ao público corporativo, além de maximizar a arrecadação do clube. “Só com a Arena lotada a gente consegue convencer as pessoas que vir ao estádio é legal, convencer as empresas que aqui tem público para elas trabalharem. Temos que ter o estádio cheio porque a atmosfera de um jogo cheio, a experiência, é de outro mundo”, explicou.

Em julho, o Corinthians firmou uma ação de marketing inédita com a Natura, marca brasileira de cosméticos. Em homenagem ao Dia dos Pais, a empresa divulgou um vídeo surpresa nos telões da Arena com mensagens de filhos para os papais corinthianos. O clipe ganhou destaque na mídia e ultrapassou a marca de 8 milhões de visualizações no YouTube.

“A gente quer mostrar para as empresas que dá para elas virem ao estádio e aproveitarem o máximo do potencial, se comunicarem com a nossa torcida, com seus clientes, com seus parceiros. A gente está usando essas ações como porta de entrada para as empresas na Arena. Foi uma ação pontual, só que os caras (Natura) gostaram pra caramba (sic), já estão conversando com a gente para fazer parcerias maiores”, contou.

“É assim que a gente está procurando trabalhar porque as empresas têm receio. ‘Ah, porque que eu vou fechar um negócio de um ano na Arena? Eu nem sei o que fazer lá, nem estou acostumado com isso’. Então a gente está em um momento de incentivar essas ações pontuais para a empresa ver, pegar confiança e saber que a parceria pode dar certo, trazendo novas receitas e mais empresas”, acrescentou.

Além do impacto nos negócios, a redução dos preços dos tíquetes garantiu o crescimento da receita com bilheteria do Corinthians no Campeonato Brasileiro. A partida contra o Cruzeiro, disputada no último domingo, rendeu R$ 2.671.941,00 - maior renda bruta do Timão dentro de seu estádio na temporada.

“Bilheteria tem um limite. Você tem uma capacidade de 45 mil pessoas no estádio, sendo que boa parte disso são camarotes e cadeiras corporativas, que não contam como receita de bilheteria. E não dá pra aumentar em R$ 50 o ingresso por ano. A gente é realista, não adianta falar: ‘Em 2016, o ingresso da arquibancada, que hoje é R$ 50, vai ser R$ 80’. Não vai ser, a gente tem um limite para bilheteria e temos que crescer em volta dela”, completou.

*Colaborou sob supervisão de Mayara Munhoz

Veja Mais:

  • Meia sentiu a costela após dividida com Betão

    Jadson tem fratura constatada e desfalca Corinthians por um mês

    ver detalhes
  • Jô, artilheiro do Corinthians na temporada com 15 gols, não balançou as redes nesta quarta-feira

    Fora de casa, líder Corinthians para na retranca do Avaí e volta a empatar no Brasileirão

    ver detalhes
  • Walter não garantiu permanência no Corinthians

    Walter não garante permanência no Corinthians: 'Estou aguardando'

    ver detalhes
  • Marquinhos Gabriel não viveu boa noite na Ressacada

    Torcida do Corinthians escolhe árbitro e Marquinhos Gabriel como vilões por empate contra o Avaí

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes