Corinthianos se mobilizam para pressionar patrocinadores de Milton Neves

Corinthianos se mobilizam para pressionar patrocinadores de Milton Neves

Por Meu Timão

76 mil visualizações 325 comentários Comunicar erro

Milton Neves ganha a vida falando mal do Corinthians

Milton Neves ganha a vida falando mal do Corinthians

Reprodução TV

Dono de um estilo único, não é de hoje que Milton Neves desperta a ira dos corinthianos. Durante anos, o apresentador tem provocado o Alvinegro, sempre com insinuações de favorecimento da arbitragem para o Corinthians. Cansada das provocações do jornalista, a torcida resolveu protestar através de uma rede social, onde se mobilizou para pressionar os patrocinadores dele.

Um grupo do Facebook "Democracia Corintiana" e a "Rádio Resistência" criaram um movimento para que os torcedores entrem na página da Rafarillo, que produz calçados, alertando que não aprovam a marca, com a seguinte mensagem: "A Fiel torcida reprova sua marca".

"Prezado empresário, eu, integrante da Nação Fiel, composta por 30 milhões de cidadãos, comunica que, a partir de hoje, deixo de consumir qualquer produto ou serviço de vossa marca. Acredito que a gestão corporativa responsável jamaias pode patrocinar o escarro na ética jornalística, a adulteração da notícia e as campanhas de ódio movidas pelo elemento Milton Neves nos veículos da Rede Bandeirantes e de Uol/Folha", descreve o manifesto do grupo.

Além disso, no fórum do Meu Timão, os torcedores também se mobilizaram para pressionar os outros patrocinadores do apresentador, como as marcas Ração Magnus, Sky Tv e Mega Mamute*.

O cenário quase sempre é o mesmo. Jogo após jogo, o apresentador, com seu espaço na televisão, critica a arbitragem da partida do Corinthians, alegando que a equipe foi beneficiada pelos mesmos. Milton Neves, inclusive, é o responsável pela criação da expressão "apito amigo".

Insatisfeito com as polêmicas que envolvem o nome do Timão e a arbitragem, o técnico Tite "cobrou" o jornalista recentemente pela incoerência, ao vivo, durante o programa Terceiro Tempo, da TV Bandeirantes.

"Eu nomino, fiquei muito chateado contigo, Milton. Porque no jogo contra o Santos, e tu prima por igualdade. Lá na Vila, teve dois lances decisivos: um de cruzamento onde há um braço aberto e tu vai mostrar as imagens porque tu é coerente e que não houve a marcação da penalidade; o outro na sequência de um cruzamento e há um rebote, e o Fagner foi expulso porque a bola bateu na mão também", explicou o técnico, visivelmente incomodado com a situação.

"Então tem erros que são a favor e erros que são contra o Corinthians também. E apito amigo não tem!", afirmou. "E aquele pênalti do Gil, que pegou no cotovelo e que foi expulso, tu também falou que não foi...E que o Cássio pegou o pênalti, lembra?", completou o técnico.

Com o movimento nas redes sociais, a torcida corinthiana tem como objetivo fazer o apresentador sentir no bolso, pelas insinuações de favorecimento ao Timão.

*Nota da redação: A empresa MegaMamute entrou em contato com o site e informou que nunca foi patrocinadora do apresentador do Terceiro Tempo. Segundo a marca, "a divulgação da marca MegaMamute foi apenas uma cortesia em poucas edições do programa, em 2011. Após a cortesia, optamos por não patrocinar o programa".

Veja Mais:

  • Destacando-se no Grêmio, Juninho Capixaba tem contrato até o fim de 2021 com o Corinthians

    Grêmio abre negociação com Corinthians por Juninho Capixaba; pedida é de R$ 5 milhões

    ver detalhes
  • Mauro Boselli foi apresentado à Fiel no intervalo do jogo entre Corinthians e São Caetano

    Boselli telefonou para Carille antes de assinar com Corinthians: 'O que você espera de mim?'

    ver detalhes
  • Goleiro Yago deve reforçar Sub-20 do Corinthians

    Corinthians também negocia com goleiro Yago e deve anunciar dupla da Ponte Preta pós-Copinha

    ver detalhes
  • Timão de Nathan tenta eliminar Vasco e chegar à decisão da Copa São Paulo; missão é dura

    Corinthians e Vasco decidem vaga na final da Copa São Paulo; saiba tudo

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes