De volta, dupla de laterais do Corinthians comenta disputa de posição no time titular

De volta, dupla de laterais do Corinthians comenta disputa de posição no time titular

Por Meu Timão

Recuperados de lesão, Fagner e Uendel concederam entrevista coletiva nesta sexta-feira

Recuperados de lesão, Fagner e Uendel concederam entrevista coletiva nesta sexta-feira

Foto: Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

Após um longo período no departamento médico do Corinthians, Fagner e Uendel estão à disposição do técnico Tite. A dupla de laterais participou normalmente do jogo-treino contra o Red Bull Brasil, nesta sexta-feira, e não demonstrou qualquer incômodo físico. Titular da lateral esquerda, Uendel comentou o sentimento de retornar aos gramados.

“Complicado ficar fora, ainda mais por lesão. Ainda mais grave, ficamos quase 50 dias fora, eu fiquei mais que o Fagner. A gente quer estar junto, ajudar, ainda mais neste momento bom. Foi bom ter os dois um dando força para o outro. Seria muito ruim passar o que passamos, sábado, domingo, na folga, sozinhos”, explicou o camisa 6.

Homem de confiança de Tite, Uendel acumula boas partidas com a camisa alvinegra nesta temporada. Porém, no dia 16 de setembro, diante do Internacional, ele teve de ser substituído após sofrer uma grave lesão na coxa esquerda. Antes descartado, o jovem Guilherme Arana, única opção para o setor, não sentiu a pressão e deu conta do recado.

Por isso, o experiente lateral ainda não sabe se vestirá o colete de titular nos próximos treinos no CT Joaquim Grava. “Falei que meu objetivo era ter saúde. Sobre posição, o campo vai dizer. Hoje não senti nada, foi uma grande felicidade. Temos mais treinos e Tite vai ver quem está melhor preparado. O mais importante é a gente estar bem”, afirmou.

Curiosamente, Fagner se encontra na mesma situação que o camisa 6. O lateral-direito está longe dos campos deste o jogo contra o Figueirense, disputado em setembro – ele sofreu uma lesão muscular na coxa direita e, assim como Uendel, quer jogar contra o Vasco, na próxima quinta.

“O fato de você estar lesionado já te deixa triste. Então tentei focar na recuperação. O quanto antes eu estivesse de volta seria melhor. Tudo tem seu tempo e sua maneira de acontecer. Estou evoluindo e isso quem vai decidir é o professor”, discursou o camisa 23, que ainda admitiu: acompanhar o Corinthians pela televisão não é tarefa fácil.

“Torcer é pior. No jogo você está envolvido e pode mudar alguma coisa. De fora você vê como torcedor e não pode fazer nada. Foi bom estar os dois fora. Demos força um ao outro”, finalizou. Nesta sexta, o elenco alvinegro contou com a visita do brasileiro Paulo Orlando, primeiro campeão da MLB (Major League Baseball). Em tom de brincadeira, a dupla respondeu se o atleta teria espaço no Timão. “Se não for lateral, pode vir”, brincou.

Veja Mais:

  • Zé Rafael, de 24 anos, tem contrato com o Bahia até 2020

    Corinthians reforça interesse em Zé Rafael, mas tem de esperar até 9 de dezembro; entenda

    ver detalhes
  • Carille quer contar com seu reserva imediato em 2018

    Permanência de Walter é desejo de Carille, mas técnico já tem plano B em caso de saída

    ver detalhes
  • Na Série B do Brasileirão pelo Internacional, Leandro Damião entrou na mira do Timão

    Corinthians inicia sondagem sobre centroavante do Internacional

    ver detalhes
  • Timão monitorava situação de Roger, em fim de contrato no Botafogo

    Alvo do Corinthians, centroavante Roger fecha com clube gaúcho

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes