Clima de medo em São Januário preocupa também jogadores do Corinthians

Clima de medo em São Januário preocupa também jogadores do Corinthians

Por Meu Timão

Laterais demonstraram preocupação com segurança em São Januário

Laterais demonstraram preocupação com segurança em São Januário

Foto: Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

A rivalidade entre as torcidas de Corinthians e Vasco é muito conhecida. Por conta de supostas ameaças e da importância do jogo entre as duas equipes da próxima quinta-feira, até os jogadores do Timão estão preocupados.

Durante a coletiva de imprensa desta sexta-feira, os laterais Fagner e Uendel comentaram sobre o clima do jogo em São Januário. Com experiência no time carioca e no estádio, Fagner diz que espera que não ocorra nada entre os torcedores.

"Espero que não haja nenhum tipo de violência. O espetáculo é em campo. Se as torcidas vão para prestigiar suas equipes, espero que não tenha confusão, isso só mancha o espetáculo. Já está na hora de acabar briga de torcedor, outros morrerem por que alguém bateu. Espero que não interfira e que não ocorra violência", declarou o lateral, que foi apoiado por Uendel.

"Parece que vai acontecer, que a gente está só esperando para acontecer. Mas espero que não corra nada. É 2015 e a gente falando disso, de mortes de torcedores...É triste falar disso. A gente faz um apelo para que tudo ocorra bem. Para que a batalha seja só dentro de campo", declarou.

Questionados sobre a pressão que pode existir dentro de campo por conta disso, a dupla se mostrou tranquila. "Quando a bola rolar, essa atmosfera de fora não vai interferir", garantiu Uendel.

"Em se tratando de jogo de duas grandes equipes em situações opostas, sabemos que terá pressão. Mas temos de fazer o que a gente vem fazendo nos jogos, esquecer o que está fora. É complicado jogar lá, mas temos condição de fazer um grande jogo", completou Fagner.

Veja Mais:

  • Emerson Sheik com a camisa do Corinthians em coletiva no CT

    Emerson Sheik é apresentado, diz entender desconfiança e promete dar resposta em campo

    ver detalhes
  • Sheik assinou contrato até o fim de junho

    Emerson Sheik fala sobre contrato de seis meses, aposentadoria e possível renovação com Corinthians

    ver detalhes
  • Sheik beijou escudo do Corinthians ao ser apresentado

    Sheik faz juras de amor ao Corinthians e relembra jogo na Arena pela Ponte: 'Foi estranho'

    ver detalhes
  • Sheik recebeu camisa das mãos do gerente de futebol Alessandro Nunes

    Acostumado a jogar com camisa 11, Sheik revela ideia 'irada' sobre novo número

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes