Vascaínos prometem inferno e fazem ameaças a corinthianos: 'É inimigo, tem que morrer'

Vascaínos prometem inferno e fazem ameaças a corinthianos: 'É inimigo, tem que morrer'

Por Meu Timão

38 mil visualizações 408 comentários Comunicar erro

O clima em São Januário não será nada amistoso. Mesmo depois do Corinthians pedir ajuda ao Ministério Público e a polícia garantir um efetivo maior, os torcedores do Vasco continuam distribuindo ameaças pela internet.

Os recados para os torcedores do Timão estão sendo divulgados de diversas maneiras: pelas redes sociais, por áudio e até por vídeo, mostrando o rosto, normalmente. Uma mensagem incentivando a violência na partida já tinha circulado pela internet na semana passada.

Agora, nos dias que antecedem a partida, que pode decidir o título do Campeonato Brasileiro, novos materiais preocupantes. Um áudio, por exemplo, de um torcedor carioca assusta. Ele diz que o clima tem que ser de guerra em São Januário e que até a polícia tem que ficar com medo da torcida carioca.

"É o jogo da vida do Vasco, o Vasco não pode cair pela terceira vez. Eles precisam da gente. Os caras sabem como é jogo aqui em São Januário, não interessa se vai perder mando de campo (...) temos que fazer isso aqui virar um inferno", diz o torcedor no áudio enviado por WhatsApp.

"Corinthians é inimigo, é inimigo. Tem que morrer!", declara o torcedor, visivelmente irritado. "Pra ganhar do Corinthians o Vasco não tem time, vai ter que ser na pressão. Nada mais justo do que a gente botar o maior terror, parceiro", completou.

Outro torcedor vai mais além e mostra o rosto. Em um vídeo, usando o boné com o símbolo do Vasco da Gama, o torcedor diz que está ali para fazer um convite para os "gambás". "Isso aqui não é salão de diversão, não. Vocês estão pensando que vão dar volta olímpica por aqui? Vão dar volta na p** de onde vocês vieram, lá de São Paulo", declarou.

Até mesmo nas redes sociais é possível encontrar publicações do tipo. Em uma rápida busca, por exemplo, foi encontrado um torcedor, Teixeira, morador de São Cristovão, no Rio de Janeiro, que afirma que não vai comemorar caso não tenha, pelo menos, três mortes de corinthianos em São Januário.

A preocupação com a violência prometida pelos cariocas já chegou até nos jogadores do Corinthians. Além dos laterais Fagner e Uendel que se manifestaram sobre o assunto na semana passada, o atacante Vagner Love, nascido e criado no Rio, disse que não levará sua família ao estádio por medo.

Veja Mais:

  • Revelação de 2017, Pedrinho reforça Corinthians diante do Red Bull Brasil

    Com Pedrinho, Carille relaciona 23 no Corinthians para duelo com Red Bull Brasil

    ver detalhes
  • Renê Júnior foi apresentado pelo Corinthians à imprensa em 7 de janeiro

    Reforço de R$ 5 milhões, volante aguarda primeira chance no Paulistão; novo esquema pode ajudá-lo

    ver detalhes
  • Livro 'Sócrates Eterno' será lançado na noite desta segunda, em São Paulo

    Viúva de Sócrates lança autobiografia do ex-jogador do Corinthians nesta segunda em São Paulo

    ver detalhes
  • Sem contusão, Clayson treinou normalmente e deve pegar Red Bull

    Após exames, Clayson treina no Corinthians e deve enfrentar Red Bull

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes