A história que começou com um pedido e virou atuação de gala do 'Anjo' Romero

A história que começou com um pedido e virou atuação de gala do 'Anjo' Romero

Por Mayara Munhoz e Tamara Guimarães

O encontro entre Cyntia e Romero trouxe sorte ao jogador

O encontro entre Cyntia e Romero trouxe sorte ao jogador

Foto: Mayara Munhoz / Meu Timão

De jeito tímido, o paraguaio Ángel Romero costuma chamar pouca atenção. No Corinthians há pouco mais de um ano, o calado atacante ficou quase esquecido, pela torcida e até mesmo pelo treinador.

Se no clube deram poucas chances a Romero, uma torcedora - em especial - não perdeu o menino de vista em nenhum momento. Virou fã. Sabe a data de aniversário, escreveu dedicatória e se dedica a defender o jogador de todos os comentários e críticas aqui no MEU TIMÃO.

No começo rechaçada, a dedicação perseverante ganhou a simpatia dos outros frequentadores do site, que começaram a pedir por um encontro. E ele aconteceu. Cyntia Bandeira Lino, ou a @cyncy, para os participantes do Fórum do MEU TIMÃO, finalmente conheceu seu ídolo.

Foi numa sexta-feira, dia 13 de novembro, que, apesar da má fama, parece ter sido dia de sorte para os dois personagens. Tudo começou por volta das 15 horas, quando a reportagem do MEU TIMÃO chegou à Rua Cabinari, na Zona Leste de São Paulo. Cyntia, escritora de 36 anos, em um misto de ansiedade e animação, abriu a porta e nos convidou para entrar.

Conhecemos a simpática Cyntia e toda a sua família. Seus pais, Carlos e Rita, que nos convidaram para nos juntarmos ao lanche da tarde ao lado da avó, D. Dulce. O relógio não ajudava, recusamos e e nos preparamos para partir rumo ao CT Joaquim Grava.

Antes disso, uma passada no quarto da Cyntia, que nos apresentou um pequeno troféu pessoal. Uma espécie de dossiê sobre Ángel Romero: uma pasta repleta de matérias desde o anúncio da contratação do paraguaio em junho de 2014 até as mais recentes. Algumas fotos impressas se misturaram a série de conteúdos sobre Romero.

Enquanto se preparava de forma minuciosa para o encontro, Cyntia, nos contava sobre como surgiu sua paixão por Romerito, ou Anjo, como ela gosta de chamá-lo. "A melhor coisa que aconteceu para mim em relação ao Corinthians foi quando apareceu esta notícia", disse ela, apontando para a informação de que Romero tinha assinado contrato com o Timão.

Entre a escolha da blusa - azul - combinando com os sapatos, o perfume e o cabelo arrumado, Cyntia também falou sobre seu pai, corinthiano, que cresceu nas ruas próximas ao Parque São Jorge, e a transformou em torcedora do Timão. Antes de sair, seu Carlos mal parecia conter a emoção ao se lembrar da infância e das memórias que tinha ao brincar nas alamedas próximas ao clube.

Nos despedimos da família, zelosa, e prometemos devolver a filha em segurança e com o sonho realizado. Os cerca de 25 minutos de distância da casa da Cyntia até o CT foram pura ansiedade. Perto do momento do encontro, surgiam as dúvidas. "Será que ele vai falar comigo?", ela se questionava.

Ao chegar no CT, o nervosismo tomou conta de vez. Os olhos brilhavam e a timidez apareceu. A agenda não ajudava muito: antes do encontro, Romero iria disputar um jogo-treino dos reservas contra o Red Bull Brasil. Seria titular. Cyntia ia acompanhar a atividade antes de conhecer o ídolo.

Sentada em um dos bancos da área destinada aos jornalistas, a escritora parecia estar na Arena Corinthians vendo o time disputar a final de um campeonato. Os olhos não saiam de Romero. A concentração era tanta que os jogadores receberam a visita do jogador de beisebol, Paulo Orlando - o primeiro brasileiro campeão da liga americana na história. Cyntia sequer olhou para o corinthiano. Romero era o seu único foco.

Com a proximidade do fim do jogo-treino, mais questões: "Que horas ele virá aqui?", "Vai ser aqui mesmo o encontro?", "Quem vai trazer ele aqui?", "Será que ele vai querer tirar foto?"; eram inúmeras as perguntas. Tantas que quase deixou de ver a assistência que o paraguaio deu para Lucca marcar o único gol do Timão na partida. Fim de jogo: 1 a 1.

Boa parte dos jornalistas se dirigiram para a sala de imprensa e Cyntia permaneceu sentada, aguardando. Romero sentou no banco de reservas, tomou água e se recuperou do jogo. Minutos depois, ele começou a atravessar o gramado, com passos tranquilos em direção à fã.

E aí, na hora do derradeiro encontrou, Cyntia travou. Depois de tudo que passou, tantos comentários respondidos, tantas defesas, ela não queria chegar perto do ídolo. Acanhada, não sabia o que falar. O paraguaio, então, gentil, foi cumprimentá-la. Cyntia, enfim, ergueu os olhos e recebeu o tão esperado abraço de Romerito.

Rapidamente entregou o presente que carregava com tanto carinho. O livro escrito por ela mesma. Estrela do Sul: seu quarto livro, um romance. A surpresa, porém, estava na página cinco. Quem a acompanha no fórum sabe: Cyntia dedicou o livro ao atacante paraguaio.

Feliz com o presente, Romero sentou no banco ao lado dela para abrir o presente. "Não repara que eu não sei falar espanhol", comentou preocupada. "Eu também não sei falar português", responde o carismático Romero, em português.

Depois de abrir o presente e ler a dedicatória, Romerito inverteu os papéis. Pediu ele mesmo um autógrafo da escritora no livro. Com o mesmo esmero que o defende, Cyntia, pegou as canetas que trouxe - uma azul e uma vermelha - e começou uma carta longa na primeira capa. Um texto "bem grande", a pedido de Romero decorados com pequenas flores espalhadas entre as palavras.

"Eu fiquei muito feliz de te ver. Só de te ver de longe, eu estava apavorada. Eu sou tão tímida", diz Cyntia. "Eu espero que você fique no Corinthians sempre", completa. O paraguaio, então, faz um pedido: "Tem que falar para o Tite para eu jogar. Fala para ele colocar o Romero para jogar" repete, ao que a fã responde: "É o que eu mais quero. Por mim, você virava titular absoluto".

Era pouco mais de 18 horas quando os dois se abraçaram, posaram para uma foto juntos e encerram a conversa, com um estalado beijo na testa do jogador. Antes do dia acabar, Cyntia ganhou mais um presente - das mãos da assessora de imprensa do Timão, Dayna Barossi, recebeu uma camisa oficial de jogo de Ángel Romero, autografada especialmente para ela.

Ao MEU TIMÃO, ele confidenciou a surpresa com a fã: "Foi muito legal conhecer ela. A paixão que ela tem por mim é muito legal. Eu não imaginei uma pessoa aqui no Brasil que gostasse tanto assim de mim. Estou muito agradecido a ela".

Naquele dia, quando deixamos o Centro de Treinamento ao cair da noite, o que nem mesmo a realizada Cyntia podia imaginar era que a sorte estaria perto de sorrir para Romero. Dias depois, no clássico contra o São Paulo, Romerito seria titular.

A demonstração de amor naquela sexta-feira foi retribuída em campo. Tite talvez tenha ouvido os pedidos da escritora. Romero marcou duas vezes em cima do São Paulo em um dia de goleada histórica. Cyntia terminou a sua aventura ainda mais orgulhosa do seu Anjo e torcendo para que, em 2016, outros também possam ver tudo que ela vê em seu menino de ouro.

Veja Mais:

  • Guilherme Arana disputará Sul-Americano no Equador

    Corinthianos são convocados para Sul-Americano Sub-20; Jabá fica fora

    ver detalhes
  • Internacional foi alvo de gafe da Fifa

    Fifa comete gafe, troca escudo do Internacional e põe foto do Corinthians no lugar

    ver detalhes
  • Alan Mineiro não fica no Corinthians em 2017

    [Teleco] Alan Mineiro não fica no Corinthians em 2017

    ver detalhes
  • Luidy foi nomeado o melhor jogador do estado de Alagoas em 2016

    Reforço do Corinthians é eleito melhor jogador do ano em AL

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes