Campeão em 90, Neto recorda invasão da Fiel ao Morumbi

Campeão em 90, Neto recorda invasão da Fiel ao Morumbi

Por Meu Timão

Destaque do Alvinegro de 1990, Neto (ao centro) recordou a final do Brasileirão contra o São Paulo

Destaque do Alvinegro de 1990, Neto (ao centro) recordou a final do Brasileirão contra o São Paulo

Foto: Divulgação

Um dos responsáveis pelo primeiro título nacional do Corinthians, o ex-jogador Neto relembrou a invasão da Fiel torcida ao estádio do Morumbi, há exatos 25 anos. No dia 16 de dezembro de 1990, milhares de corinthianos estiveram presentes na vitória por 1 a 0 sobre o São Paulo, resultado que garantiu ao Timão o título do Campeonato Brasileiro.

“A cena que mais me marcou naquele dia foi a chegada ao Morumbi. O primeiro jogo, no meio de semana à noite, teve 85 mil torcedores. Naquele domingo, haviam 101 mil e 80% dos torcedores eram corinthianos. Foram quase 200 mil pessoas se juntarmos os números! E me lembro de ver o Morumbi enchendo aos poucos, aquela quantidade de gente. Foi impressionante”, conta Neto, em entrevista ao site oficial do Corinthians.

Lembrado pelo forte temperamento, José Ferreira Neto foi revelado pelo Guarani. Após passagens discretas por alguns clubes de São Paulo, chegou ao Parque São Jorge em 1989. Na temporada seguinte, sob o comando do técnico Nelsinho Baptista, foi decisivo e levou o time alvinegro à conquista do Brasileirão, então inédito.

“A memória mais forte que eu tenho daquele Campeonato Brasileiro é a mesma de quando a competição acabou: em primeiro, dar um título nacional para uma torcida que esperava por aquilo há 80 anos; em segundo, o agradecimento ao Corinthians por ter me dado chance de virar ídolo; e os jogos contra Atlético-MG, Bahia e São Paulo, que marquei gols e tive boas atuações”, diz.

Desacreditado no início do ano, o Corinthians terminou o primeiro turno na segunda colocação, atrás apenas do Atlético-MG. Classificado para o mata-mata, o Timão contou com o “apetite” do Xodó da Fiel, que marcou nove gols durante a competição, para bater o Bahia, na semifinal, e o São Paulo, na decisão.

“Hoje tenho um sentimento de gratidão muito grande por conseguir participar de forma importante na conquista de um título que demorou 80 anos. Naquela época, os corinthianos sofriam bullying nas escolas porque o Corinthians não tinha um título nacional. Conseguimos dar um título pra essas pessoas e mostramos que, dali pra frente, o Corinthians conquistaria mais títulos dessa expressão”, completou.

Veja Mais:

  • Cerca de 200 integrantes de organizadas foram ao Pacaembu neste domingo

    Ato de organizadas tem gritos de 'Vamo Chape' e pedido por liberdade nos estádios

    ver detalhes
  • Kalil, à direita de Roberto de Andrade, pediu licença de 60 dias

    Vice-presidente solicita licença do cargo e dispara contra diretoria do Corinthians

    ver detalhes
  • Bruno César anotou o segundo gol na vitória por 2 a 0

    Ex-jogador do Corinthians marca golaço de falta e dedica à Chapecoense; veja o vídeo

    ver detalhes
  • Maycon conta com o aval de Oswaldo de Oliveira para retorno

    Retorno de Maycon minimiza necessidade por contratação de volante no Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes