Ídolo da Fiel, Luizão relembra apoio da torcida na conquista do bicampeonato brasileiro

Ídolo da Fiel, Luizão relembra apoio da torcida na conquista do bicampeonato brasileiro

Por Meu Timão

Luizão foi artilheiro do Corinthians no Campeonato Brasileiro em 1999

Luizão foi artilheiro do Corinthians no Campeonato Brasileiro em 1999

Foto: Divulgação

O Corinthians entrou em campo pela primeira vez no Campeonato Brasileiro em 1999 com uma novidade: o centroavante Luizão. Apresentado a Fiel como o novo camisa 9 do elenco, estreia do Timão não podia ter sido melhor. Em partida disputada contra o Gama, no estádio Mané Garrincha, em Brasília-DF, o Corinthians goleou a equipe por 4 a 2. E, para o delírio da torcida, os quatro gols foram do reforço no ataque.

Ao lado de Edílson, Luizão se consagrou como artilheiro da competição e se tornou referência no ataque alvinegro. A final do campeonato, que foi disputada em três partidas, contra o Atlético-MG teve a participação fundamental do atleta. Até o segundo jogo da decisão, o camisa 9 do Timnao balançou a rede duas vezes na vitória por 2 a 0, no estádio do Morumbi. Sendo assim, devolveu ao clube a vantagem do empate (já que o Corinthians havia perdido a primeira partida por 3 a 2). Porém, o jogador foi expulso no segundo duelo e ficou de fora do terceiro e último jogo da temporada.

"O duro foi quando foi campeão mesmo, aí não tinha como eu pular para dentro do campo. Eu saí do estádio, saí correndo na rua. Entrei pelo portão principal. Não queriam deixar eu entrar. Eu falei: 'Mas eu sou campeão, fiz os gols do título, me deixem entrar'. Tanto que na comemoração eu nem estou com a camisa do Corinthians", relembrou Luizão, em entrevista ao Esporte Espetacular.

Luizão também trouxe a tona outras recordações da segunda partida das finais:

"Eu me lembro muito bem de tudo. A torcida do ali fora empurrando o ônibus, balançando para a gente chegar e conquistar a vitória. Foi emocionante mesmo', disse. 'No lance do primeiro gol, o Kleber vai para o fundo e eu venho para trás. O Gilmar Fubá puxa a marcação e eu fico sozinho. No que ele puxou, a bola veio na minha cabeça e eu nem saí do chão. Eu faço um movimento e cabeceio para baixo e faço o gol", relembrou.

Mesmo com a derrota no primeiro jogo da decisão, o centroavante garante que a equipe estava confiante para conquistar o caneca de bicampeão.

"A gente tinha consciência que o nosso time era melhor. A gente fez o campeonato melhor que todos. Então, a gente saiu muito fortalecido e sabíamos que, no Morumbi, com a nossa torcida maravilhosa, conseguiríamos a vitória. Tínhamos certeza", concluiu o ídolo corinthiano.

Veja Mais:

  • Kalil, à direita de Roberto de Andrade, pediu licença de 60 dias

    Vice-presidente solicita licença do cargo e dispara contra diretoria do Corinthians

    ver detalhes
  • Bruno César anotou o segundo gol na vitória por 2 a 0

    Ex-jogador do Corinthians marca golaço de falta e dedica à Chapecoense; veja o vídeo

    ver detalhes
  • Filha dá resposta sensacional ao pai palmeirense: 'Vai, Corinthians'

    Pai força garotinha a cantar música do Palmeiras, e ela surpreende com um 'Vai, Corinthians!'

    ver detalhes
  • Gaviões da Fiel se unirá as outras torcidas organizadas paulitas neste domingo

    Organizadas rivais de São Paulo se unem em evento no Pacaembu em homenagem à Chape

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes