Comandante da polícia promete não mais atrapalhar manifestações da torcida corintiana

Comandante da polícia promete não mais atrapalhar manifestações da torcida corintiana

Por Meu Timão

Torcida do Corinthians estendeu faixas de protesto contra a Rede Globo nos últimos jogos

Torcida do Corinthians estendeu faixas de protesto contra a Rede Globo nos últimos jogos

Foto: Reprodução

Em meio a protestos, a torcida do Corinthians vai conquistando pequenas vitórias. Como, por exemplo, o direito o próprio direito de protestar.

Após levar faixas com críticas a federações, dirigentes e até políticos (confira um resumo aqui) às arquibancadas e ser reprimida pela Polícia Militar, a torcida do Timão recebeu o aval do comandante do segundo batalhão de choque da polícia de São Paulo. Em entrevista à ESPN, Luiz Gonsaga de Oliveira Junior disse que não haverá mais interferência policial em manifestações pacíficas que ocorram nas arquibancadas.

"Se as manifestações mantiverem esse nível de não serem ofensivas a ninguém e a nenhuma instituição elas vão ocorrer normalmente desde que não ataquem ninguém e não causem nenhum problema a segurança pública", afirmou.

No dia 11, durante jogo contra o Capivariano, membros da Gaviões da Fiel foram acuados pela PM após estenderem faixas. Ao menos um torcedor foi ferido.

Dia 14, no clássico contra o São Paulo, durante novo protesto da torcida, o árbitro da partida pediu ao zagueiro e capitão Felipe para que tentasse convencer os torcedores a baixarem as faixas. A polícia, dessa vez, não interviu.

O delegado se atrapalhou ao tentar explicar a diferença de conduta entre os dos protestos.

"A faixa foi estendida bem próxima aos policiais. Os policiais foram lá e retiraram a faixa desses torcedores. Já no domingo, elas foram colocadas bem no meio da torcida e nós avaliamos que não seria necessário uma atuação nossa mesmo porque elas não estavam ferindo o estatuto do torcedor", disse.

"(No dia 14) Houve um pedido do delegado do jogo, que solicitou ao policiamento a retirada das faixas, mas nós avaliamos lá no momento e vimos que seria desnecessário uma atuação nossa na torcida, poderia causar uma mal maior", completou.

Vale lembrar que o estatuto do torcedor proíbe qualquer tipo de manifestação racista, ofensiva, xenofóbica ou algo nesses termos. As manifestações da torcida alvinegra não ferem tais ordens.

Veja Mais:

  • Monster Jam agitou Itaquera nesse sábado

    Primeiro Monster Jam no Brasil leva mais de 30 mil pessoas à Arena Corinthians

    ver detalhes
  • Crislan pertence ao Braga, mas jogou no Vegalta Sendai por empréstimo

    Em alta no Japão, atacante despista sobre sondagem do Corinthians

    ver detalhes
  • Carille acredita em crescimento de Marquinhos Gabriel na próxima temporada

    Após sondagens, Corinthians e Marquinhos Gabriel negam possibilidade de empréstimo para 2018

    ver detalhes
  • Em meio à Fiel, Carille ergue a taça do hepta

    Como ganhar na loteria! 'Campeão de tudo' em 2018 levará R$ 144 milhões

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes