FPF reconhece erro após torcida do Timão ser oprimida e diz defender liberdade de expressão

9.3 mil visualizações 60 comentários

Por Meu Timão

Faixas foram abertas no setor Norte da Arena Corinthians

Faixas foram abertas no setor Norte da Arena Corinthians

Reprodução

Os protestos organizados pela Gaviões da Fiel seguem repercutindo. Após diversas manifestações contrárias à Federação Paulista de Futebol, à Confederação Brasileira de Futebol, à Rede Globo, ao deputado tucano Fernando Capez e até mesmo à diretoria do Corinthians, a FPF emitiu um comunicado reconhecendo que errou ao promover a retirada de faixas estendidas pela torcida alvinegra na Arena Corinthians.

A FPF se embasa no Estatuto do Torcedor para defender os atos da principal organizada do Corinthians. Como os protestos da torcida não eram homofóbicos, racistas, xenófobos nem incitavam qualquer outro tipo de violência, não poderiam ser reprimidos.

"Na visão da FPF, as faixas expostas nos últimos jogos do Campeonato Paulista não feriram esta lei e, assim como qualquer manifestação pacífica, devem ser respeitadas, sem prejuízo ao andamento da partida", escreveu a Federação.

No jogo do último dia 12, contra o Capivariano, a Polícia Militar chegou a agredir torcedores após estes estenderem faixas nas arquibancadas da Arena. No último domingo, o árbitro que apitava o clássico entre Corinthians e São Paulo interrompeu a partida e solicitou ao zagueiro e então capitão Felipe para que convencesse a torcida a abaixar as faixas.

CONFIRA ABAIXO O COMUNICADO DA FPF NA ÍNTEGRA

A Federação Paulista de Futebol vem a público esclarecer que não se opõe a nenhum tipo de manifestação pacífica durante os jogos, e que seus regulamentos não vetam a exibição de faixas ou bandeiras de protesto.

Não há, tampouco, qualquer orientação por parte da FPF a árbitros, delegados de partida, profissionais envolvidos nos campeonatos paulistas, ou mesmo à Polícia Militar, para que oprimam estes movimentos.

A única regra que versa sobre manifestações em estádios é o Estatuto do Torcedor, legislação federal que veta faixas com mensagens ofensivas.

No entanto, na visão da FPF, as faixas expostas nos últimos jogos do Campeonato Paulista não feriram esta lei e, assim como qualquer manifestação pacífica, devem ser respeitadas, sem prejuízo ao andamento da partida.

No caso do clássico de domingo (14) entre Corinthians e São Paulo, por exemplo, o jogo não deveria ter sido paralisado. A FPF defende, sim, a liberdade de expressão, princípio básico da democracia.

Veja Mais:

  • Jean (volante, Marítimo-POR), Camacho (volante, Santos) e Léo Príncipe (lateral, CRB) foram três dos 26 jogadores que deixaram o Corinthians sem render dinheiro nos últimos dois anos (2020 e 2021)

    Nos últimos dez anos, 117 atletas deixaram o Corinthians sem render dinheiro ao clube

    ver detalhes
  • Corinthians finalizou o primeiro treino preparatório para enfrentar o Bahia, no domingo, pelo Campeonato Brasileiro

    Corinthians se reapresenta e faz treino técnico e de finalizações de olho no duelo contra o Bahia

    ver detalhes
  • Paolo Guerrero deixou o Corinthians em 2015; jogador tem contrato com o Internacional até o final de 2021, mas não deve vir ao Timão

    Diretor de futebol do Corinthians nega procura por Paolo Guerrero: 'Não há interesse'

    ver detalhes
  • Organizadas do Corinthians apoiaram Movimento Salve O Corinthians e reivindicam postura da diretoria

    Movimento de torcedores e organizadas do Corinthians enviam carta com reivindicações à diretoria

    ver detalhes
  • Corinthians x Magnus realizaram clássico nesta quinta-feira

    Corinthians é derrotado pelo Magnus por 3 a 2 em jogo da Liga Nacional de Futsal

    ver detalhes
  • Marquinhos começa como reserva, mas tem histórico de gols

    [Publi] Quanto vale um gol de um ex-Corinthians no jogo entre Brasil e Peru nesta quinta?

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia:

x