Corinthians se pronuncia sobre violência policial e afirma ter cobrado explicações do comando da PM

20 mil visualizações 158 comentários

Por Meu Timão

Pai e filho chorando após bombas atiradas pela polícia militar no último sábado na Arena

Pai e filho chorando após bombas atiradas pela polícia militar no último sábado na Arena

Reprodução / Twitter

O Corinthians enfim se pronunciou acerca da ação truculenta da polícia militar que vem marcando negativamente os jogos na Arena em 2016. Por meio de uma nota publicada em seu site no início de tarde desta segunda-feira, o clube afirmou ter cobrado a polícia militar após as cenas de violência do último sábado e disse ter solicitado uma reunião junto com o comando do policiamento.

Ademais, o Corinthians afirmou "reprovar e repudiar atos de violência de qualquer espécie". O clube também prometeu emitir nova nota assim que haja algum retorno da polícia. A tendência é uma nova manifestação por parte do Timão acontecer após a reunião que deve acontecer nos próximos dias com os responsáveis pela polícia militar de São Paulo.

Ao término do jogo entre Corinthians e Linense, no último sábado, o entorno da Arena se transformou numa praça de guerra, com tiros de bala de borracha e bombas de gás lacrimogêneo arremessadas em direção à torcida. Vídeos, fotos e relatos mostram torcedores (muitos com crianças) encurralados pela ação truculenta da polícia.

Vale lembrar que este não é o primeiro registro de ação truculenta da polícia na Arena Corinthians em 2016. Na quarta-feira passada, as organizadas foram expulsas sob golpes de cassetetes do setor Norte após jogo contra o Cerro Porteño. No último dia 2, um torcedor foi arrastado numa escada do setor Sul. Na ocasião, o Corinthians se isentou de responsabilidade e alegou que a PM tem livre arbítrio durante os jogos. Anteriormente, em 11 de fevereiro, parte da torcida alvinegra foi agredida por policiais porque estenderam faixas de protesto nas arquibancadas do setor Norte.

Confira abaixo a nota emitida pelo clube

"A respeito dos problemas ocorridos no último sábado (19), após o jogo Corinthians e Linense pelo Campeonato Paulista, envolvendo a ação da Polícia Militar e o tumulto que atingiu alguns torcedores na saída do estádio, o Corinthians e a Arena Corinthians reprovam e repudiam atos de violência de qualquer espécie.

O Corinthians, preocupado com o bem-estar de seus torcedores e respectivas famílias em seus jogos, solicitou junto à Polícia Militar, esclarecimentos sobre o ocorrido e pediu uma reunião com comando do policiamento para tentar encontrar uma solução para que estes acontecimentos não voltem a ocorrer.

Desde a inauguração da Arena Corinthians, as administrações do clube e do estádio seguem firmes no propósito de receber o torcedor da melhor maneira possível.

Tão logo aconteça a reunião com o comando do policiamento, o Corinthians voltará a se manifestar para informar e dar maior tranquilidade aos seus torcedores."

Veja Mais:

  • Sem espaço com Tiago Nunes, volante Thiaguinho foi emprestado ao CRB em 2020

    Thiaguinho revela contradição em saída 'sem nexo' do Botafogo e retorno ao Corinthians

    ver detalhes
  • VÍDEO: O relato de quem foi parar 'aleatoriamente' numa reunião entre jogadores e torcedores no CT

    ver detalhes
  • Jô está na mira do Corinthians

    O que você pensa sobre possível retorno de Jô ao Corinthians? Responda enquete do Meu Timão

    ver detalhes
  • Corinthians fica no empate por 1 a 1 com o Ituano, na Arena, em seu último compromisso antes da paralisação

    Clubes e FPF se reúnem nesta sexta-feira para alinhar retorno do Campeonato Paulista; veja detalhes

    ver detalhes
  • Live do Meu Timão: Thiaguinho, volante do Corinthians (hoje emprestado)

    Live do Meu Timão: Thiaguinho se compara a Cantillo e explica planos de voltar ao Corinthians

    ver detalhes
  • O 1º jogador negro do Corinthians: medo de punição e preconceito pós-escravidão

    VÍDEO: O 1º jogador negro do Corinthians: medo de punição e preconceito pós-escravidão

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: