Ao falar sobre adaptação no Timão, Giovanni Augusto cita comportamento de Cássio e Elias

O Corinthians não se destaca apenas para a imprensa esportiva e para os torcedores. Os protagonistas do espetáculo que a equipe de Tite promove dentro de campo também se impressionam com o ambiente...
Giovanni Augusto já se sente adaptado ao Corinthians

Giovanni Augusto já se sente adaptado ao Corinthians

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

O Corinthians não se destaca apenas para a imprensa esportiva e para os torcedores. Os protagonistas do espetáculo que a equipe de Tite promove dentro de campo também se impressionam com o ambiente do clube. Em entrevista para o portal Goal, o meia Giovanni Augusto deixou isso bastante claro.

Contratado do Atlético-MG há cerca de dois meses, o camisa 17 do Timão já se sente adaptado ao novo clube. Questionado sobre qual o diferencial do Corinthians em relação às demais equipes por onde passou, Giovanni Augusto citou Cássio e Elias para explicar a atmosfera que ronda o CT Joaquim Grava.

"Realmente é muito diferente. Posso citar como exemplo o Cássio, que é uma referência dentro do clube e conquistou tudo. Você o olha no dia a dia e parece que é um cara comum pela simplicidade, humildade e o jeito de conversar com todo mundo. Com certeza, a primeira coisa que reparei quando cheguei no Corinthians foi a humildade de cada jogador. Isso é muito importante", comentou o meia.

"Tem o próprio Elias, que é outra referência, um cara que conversa bastante e traz alegria. Fico muito feliz de fazer parte desse grupo e espero que a gente possa se unir cada vez mais para buscar grandes coisas... Sempre que dá a gente se encontra para almoçar, jantar ou alguma coisa assim. Esses dias estão sendo muito corridos, mas a gente vai adquirindo com o tempo essa intimidade", completou.

Mas nem só de coisas agradáveis vive um jogador recém-chegado ao Corinthians. A pressão por bons resultados, o peso da Fiel e a responsabilidade de substituir jogadores que brilharam na campanha do hexacampeonato brasileiro (casos de Jadson e Renato Augusto, por exemplo), deixam Giovanni Augusto com o sinal de alerta sempre ligado.

"Todos nós sabemos que a responsabilidade é muito grande quando jogamos em um time de expressão e com torcida. Responsabilidade maior ainda de suprir aqueles jogadores que saíram que são de um nível técnico muito alto, de Seleção Brasileira e que deixaram um legado muito bom no clube", afirmou.

"Mas também sabemos das nossas qualidades. O que me deixa tranquilo é saber que posso contar com o apoio do professor Tite e dos meus companheiros, que desde quando cheguei me receberam muito bem. Acho que aos poucos vou conseguindo retribuir o carinho e a confiança que todos têm por mim", completou.

Fato é que Giovanni Augusto mal chegou e já assumiu posto de titular na equipe do técnico Tite. Em relação ao time do ano passado, ele faz função semelhante à desempenhada por Jadson. Já foram 12 jogos e dois gols com a camisa do Corinthians.

Ao falar sobre adaptação no Timão, Giovanni Augusto cita comportamento de Cássio e Elias Ao falar sobre adaptação no Timão, Giovanni Augusto cita comportamento de Cássio e Elias 54

Veja Mais:

  • Clube social acumula dívidas de quase R$ 99 milhões em cinco anos

    Corinthians tem prejuízo pelo quinto ano consecutivo com clube social

    ver detalhes
  • Empate do Corinthians permitiu que terceiro e quarto colocados encostassem

    Grêmio e Santos vencem e ficam na cola do Corinthians; veja a classificação atualizada

    ver detalhes
  • Alexandre Pato pode, enfim, dar adeus definitivo ao Corinthians

    Jornais espanhóis apontam acerto próximo para ida de Alexandre Pato ao Villarreal

    ver detalhes
  • Fiel critica empréstimo de Maycon para a Ponte Preta

    Titular, gol e 'comendo' a bola: começo de Maycon na Ponte Preta revolta corinthianos

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes