Documento usado como prova de roubo de merenda some da Secretaria de Educação de SP

Documento usado como prova de roubo de merenda some da Secretaria de Educação de SP

Por Meu Timão

Gaviões da Fiel fez protesto em frente à Assembleia Legislativa de SP, da qual Capez é presidente

Gaviões da Fiel fez protesto em frente à Assembleia Legislativa de SP, da qual Capez é presidente

Foto: Divulgação / Gaviões da Fiel

Apesar do envolvimento em mais um episódio de brigas e violência nas ruas de São Paulo no último domingo, as torcidas organizadas do Corinthians parecem cada vez mais ter razão de cobrar rigidez nas investigações da máfia das merendas escolares, supostamente encabeçada pelo deputado tucano e ex-promotor Fernando Capez. Conforme apontado em reportagem do jornal Folha de S. Paulo, um documento tido como importante prova contra os políticos envolvidos no esquema de superfaturamento sumiu da Secretaria de Estado da Educação.

O documento foi obtido pelos investigadores da operação Alba Branca, que apura o pagamento de propinas em contratos superfaturados de merenda das escolas administradas pelo governo de Geraldo Alckmin. Tal papel era uma espécie de pedido de reequilíbrio financeiro de um contrato da Coaf (Cooperativa Orgânica Agrícola Familiar) com o governo estadual tucano. Em outras palavras, prova de que políticos combinavam formas de aumentar o valor dos contratos propositalmente.

A Corregedoria-Geral do Estado de São Paulo foi quem descobriu o sumiço do documento e agora é responsável pelas investigações. O corregedor-geral Ivan Agostinho, que se manifestou sobre o assunto em entrevista à TV Globo, disse que a última funcionária que teve acesso ao papel não soube explicar como o papel "desapareceu". A Secretaria da Educação do Estado informou que também investiga o assunto e pediu um membro da Corregedoria para acompanhar o processo.

Vale lembrar que, desde a primeira denúncia envolvendo o nome de Fernando Capez no esquema de corrupção de merendas escolares, a Gaviões da Fiel iniciou uma série de protestos nas ruas e nas arquibancadas cobrando punição ao ex-promotor. Capez tentou, ao longo de anos, banir torcidas organizadas dos estádios de São Paulo, se tornando assim inimigo número um das uniformizadas.

Veja Mais:

  • Guilherme Arana disputará Sul-Americano no Equador

    Corinthianos são convocados para Sul-Americano Sub-20; Jabá fica fora

    ver detalhes
  • Moisés, de 21 anos, foi um dos destaques do Bahia em 2016

    Destaque do Bahia, lateral faz parte dos planos do Corinthians para 2017

    ver detalhes
  • Internacional foi alvo de gafe da Fifa

    Fifa comete gafe, troca escudo do Internacional e põe foto do Corinthians no lugar

    ver detalhes
  • Alan Mineiro não fica no Corinthians em 2017

    [Teleco] Alan Mineiro não fica no Corinthians em 2017

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes