Artilheiro do Timão em 2016, Romero segue sem ser primeira opção mesmo com lesão de titular

Artilheiro do Timão em 2016, Romero segue sem ser primeira opção mesmo com lesão de titular

Por Meu Timão

Com sete gols marcados, Romero é o artilheiro do Corinthians no ano

Com sete gols marcados, Romero é o artilheiro do Corinthians no ano

Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

Romero começou a temporada de 2016 como titular do Corinthians, porém perdeu o posto após Giovanni Augusto, contratado para suprir as perdas do time, se firmar na equipe. No último sábado, Giovanni sofreu uma lesão e será desfalque por até um mês. A ausência do jogador poderia ser a oportunidade para o paraguaio voltar. No entanto, Tite parece ter encontrado outro atleta para a posição.

No treino desta quinta-feira, contando apenas com os jogadores que não começaram jogando contra o Cobresal, Tite esboçou a equipe para o confronto contra o Audax, pela semifinal do Campeonato Paulista, com Alan Mineiro no lugar de Giovanni Augusto.

A escolha do meia indica que, apesar de ser o artilheiro do Corinthians no ano com sete gols, Romero não é a primeira opção de Tite – e agora nem a segunda. Focando em fazer o melhor para ajudar o Timão, Romero se colocou à disposição do treinador e garantiu que continuará trabalhando para conseguir seu espaço.

“Infelizmente, o Giovanni machucou. Não tenho problema de jogar na direita ou esquerda, vou trabalhar para jogar. Para um atacante é sempre importante fazer gol. Estou jogando agora, marcando, ontem tive a oportunidade de dar assistência. Vou trabalhar forte para conseguir uma vaga”, disse o paraguaio.

Apesar de não ser titular, Romero - e outros diversos atletas do Corinthians – se beneficiam da filosofia de Tite, de não contar apenas com os titulares e usar grande parte de seu elenco. A mentalidade do treinador permite o atacante mostrar seu trabalho mesmo ele não sendo titular, o que faz com que o paraguaio se sinta no seu melhor momento desde que chegou ao clube do Parque São Jorge, em 2014.

“Acho que é o melhor momento desde que estou aqui. Ano passado foi muito difícil, quase não joguei. Esse ano comecei muito bem, como titular. Trabalhamos a cada dia para melhorar e ganhar a confiança do treinador. Ninguém tem assegurada a vaga de titular. Todo mundo está lutando. O Tite troca muito de time. Então, é trabalhar cada treino e fazer o meu melhor”, concluiu.

A escolha do técnico pode ser justificada pela sua preferência tática. Apesar de utilizar a formação 4-1-4-1, o comandante corinthiano gosta de jogar com dois atacantes e quatro jogadores de meio-campo. Como o time titular conta com André e Lucca, o treinador pode ter optado por trocar um meio-campista por outro meia ao invés de escalar mais um atacante.

No jogo desta quarta, isso pôde ser visto no time que enfrentou o Cobresal. Com Luciano de centroavante, o outro atleta mais ofensivo foi Romero, que jogou pelo lado direito, enquanto Marlone jogou aberto pela esquerda. Desta forma, Tite consegue manter a equipe - titular ou reserva - com dois atacantes e quatro jogadores de meio-campo.

Veja Mais:

  • Corinthians volta a jogar nesta segunda pela Liga Nacional

    Corinthians encara 'reforçado' Sorocaba na primeira final da Liga Nacional

    ver detalhes
  • Cerca de 200 integrantes de organizadas foram ao Pacaembu neste domingo

    Ato de organizadas tem gritos de 'Vamo Chape' e pedido por liberdade nos estádios

    ver detalhes
  • Kalil, à direita de Roberto de Andrade, pediu licença de 60 dias

    Vice-presidente solicita licença do cargo e dispara contra diretoria do Corinthians

    ver detalhes
  • Bruno César anotou o segundo gol na vitória por 2 a 0

    Ex-jogador do Corinthians marca golaço de falta e dedica à Chapecoense; veja o vídeo

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes